Não há muito mais a se dizer sobre o novo vídeo do OK Go, exceto que 1) ele é fantástico; 2) ele tem cães fantásticos; 3) a música – White Knuckles – é fantasticamente boa, no nível da melhor música do Prince. 

Na verdade, tem muito mais a se dizer sobre ele. Foi assim que tudo começou: a OK Go entrou em contato com a empresa Talented Animals com uma ideia para um vídeo onde os cachorros seriam as estrelas. Eles queriam algo "mágico e encantador", de acordo com Roland Sonnenburg da Talented Animals, "algo que nunca tivesse sido feito antes". Sonnenburg respondeu que qualquer coisa que fosse fisicamente possível poderia ser feita por cães, então sim, a ideia parecia ser boa. 



Foi então que Damian Kulash – vocalista e guitarrista do OK Go – disse a ele que o vídeo deveria ser feito em uma só tomada, sem cortes. Sonnenburg achou que fosse impossível: 

… para aqueles de vocês que nunca trabalharam com um animal em filmagens, nós usamos cortes e ângulos ótimos de câmera para tudo. Elas são as ferramentas que nos permitem ter sucesso. Sem cortes, os animais teriam que trabalhar todos ao mesmo tempo com os treinadores longe, e precisaríamos fazer cada cão, cada treinador, cada membro da banda e cada membro da equipe de filmagem acertar cada um dos comportamentos, tudo na mesma tomada. Nada provável. 

Sonnenburg explicou para Damian que este seria o vídeo com animais mais difícil já feito, com 12 cachorros e 12 treinadores (e um bode) perfeitamente sincronizados durante três minutos e 36 segundos de coreografia intensa entre os caninos e os quatro membros da banda. 

Tínhamos 12 treinadores, duas pessoas para arrastar móveis, 12 cachorros, um bode, 38 baldes e muitos móveis, e todos eles precisaram ser movidos e ficar no lugar certo, na hora certa, sem ninguém ficar na frente da câmera. Nós usamos animais empalhados, planilhas, fluxogramas e instruções em áudio, e por muitas horas experimentamos várias configurações até encontrarmos uma que funcionava. E então treinamos e treinamos. 

E eles praticaram! A equipe de treinamento ensaiou por semanas, e cada cachorro praticou com seu treinador individual, usando sinais de entrada diferentes para cada cão. Quando as coisas começaram a parecer boas, a banda entrou e se integrou com os cachorros, ajustando a coreografia até ficar exatamente o que eles tinham em mente. Eles tinham apenas alguns dias até acabar o cronograma de quatro semanas, os cães estavam prontos para serem reunidos e fazer toda a coreografia do vídeo com a banda pela primeira vez… mas só à meia velocidade. 

O tempo passou e eles continuaram a ensaiar, até só haver quatro dias para acabar o clipe. Era hora de filmar. Mas foi só na tomada 49 que tudo deu certo – cães, banda e música todos em sincronia perfeita. Foi só na tomada 60 que um novo problema apareceu: os cachorros estavam fazendo tudo perfeitamente e gostando de fazer tudo. Mas estavam gostando tanto que começaram a se mover mais rápido que a música. Eles tinham que corrigir isso, e faltando apenas um dia, tudo deu certo pela primeira vez: 

No começo da manhã do terceiro dia, começamos a tomada 72, e no meio do filme, podíamos sentir que tudo estava indo muito, muito bem. Cada parte estava boa, e o ritmo e o timing estavam ótimos. Todos estavam animados e bem. Parecia ser a tomada certa… À medida que passava cada momento desafiador, parecia mais e mais que essa era a tomada perfeita, e na cena final, quando todos os cães estavam deitados em mesas perto da banda, havia uma vibração silenciosa na sala. Nenhum de nós estava se mexendo, nem respirando, e Damian finalmente levantou a cabeça e disse "Conseguimos!". 

No final do cronograma de quatro semanas, eles tinham 124 tomadas, 30 das quais completas. Destas, 10 estavam excelentes, de acordo com Sonnenburg, mas a de número 72 foi a considerada perfeita – "de alguma forma ela pareceu, na tela, algo real e com integridade". É essa a tomada que você pode assistir de novo e de novo no vídeo acima. [Talented Animals]