Este não é um bom ano para as experiências do Google: os tablets com Honeycomb estão demorando para se tornarem populares, e a Google TV – que combina TV a cabo, internet e apps no seu televisor – é um fracasso. As duas plataformas sofrem por ainda serem “betas”, lançadas aos consumidores mas não finalizadas. Hoje, o grande dispositivo com Google TV que se recusava em baixar o preço agora custa US$99 – e isso ainda pode ser caro demais.

Dispositivos com Google TV, entre set-top boxes, Blu-ray players e TVs, já sofreram cortes nos preços há algum tempo, para tentar fazer a plataforma vingar. Mas a Logitech Revue – a caixinha com Google TV que você vê acima – manteve teimosamente seus US$299 por muito tempo, e pagou o preço: a Logitech disse que o aparelho teve “vendas negativas”, ou seja, a Logitech recebeu das lojas mais pedidos de devolução que pedidos de compra adicional.

Só agora o Revue teve seu preço reduzido para US$99, mesmo preço da Apple TV. Na plataforma da Apple, você pode comprar e alugar filmes e episódios de séries. A Google TV, no entanto, sofre pela falta de conteúdo: você pode comprar vídeos e séries através da Amazon e do Netflix, mas a experiência não é simples o bastante.

Um dos diferenciais da Google TV é acessar sites através da TV, usando um navegador baseado no Chrome – mas sites de streaming, como o Hulu e todos os sites dos canais abertos americanos, bloqueiam o acesso da Google TV aos vídeos. OK, você também tem uma interface especial para usar o YouTube, só que é mais fácil comprar (ou montar) um HTPC, ou mesmo ligar seu notebook na TV.

A Google TV deve ser atualizada nos próximos meses, mudando sua base para o Honeycomb e acrescentando uma interface simplificada, acesso ao Android Market – com apps criados para a tela da TV – e acesso às músicas do Google Music e filmes/séries do Google Movies. A Logitech promete que a atualização para o Android 3.1 vai fornecer uma experiência melhor aos usuários. Vamos ver se a Google TV dá certo. [Gizmodo US e Technologizer]

Imagem via Geek