O grande destaque do iTunes 10 é o Ping, a nova rede social voltada para música da Apple. Assim como no Twitter, dá pra seguir e ser seguido, de forma pública ou mais reservada, só entre amigos. 

O Ping baseado em um feed, como o Facebook. Você pode postar vídeos, fotos, opiniões, resenhas, sugestões de música, e comentar em todos estes posts, seus ou de outros usuários. Se alguém postou uma sugestão de música, é possível comprá-la com um clique, ou ver o resto das músicas do álbum. Se você está na página de um artista, ela mostra os próximos shows. Na sua página inicial de um usuário, aparecem os shows próximos a ele. 

A rede social é uma seção dentro do iTunes, quase um programa em si (similar ao modo como o Genius existe). Ela também está presente no iPhone e no iPod Touch através do app da iTunes Store, que também mostra o feed de atividades dos seus amigos e dos artistas que você segue. Também são oferecidas listas do tipo Top 10 com músicas e álbuns populares apenas entre você e os seus amigos. 

A ideia por trás do Ping é facilitar a descoberta de novas músicas ou artistas (através de recomendações e hábitos dos seus amigos), assim como manter o hábito de acompanhar de perto as novidades (especialmente lançamentos de novas músicas ou álbuns) dos seus artistas favoritos. 

Até agora, o iTunes já serviu 11.7 bilhões de músicas, 450 milhões de episódios de programas de TV, 100 milhões de filmes, 35 milhões de livros, e tem 160 milhões de contas de usuário criadas. Isso significa que há um montão de gente para seguir e um montão de recomendações de músicas para fazer ou receber. Especialmente porque o Ping também existe no iPhone. 

Mas além do Ping, não foi anunciado nada mais para o iTunes 10? Ora, foi sim (mas não muita coisa). Por exemplo: agora se você estiver numa listagem de músicas e tiver mais de cinco itens em sequência que são de um mesmo álbum, o iTunes mostra a capa do álbum à esquerda, sem ocupar espaço a mais. Em outras palavras, ficou mais bonitinho (pra quem de fato se preocupa em manter as capas dos álbuns). 

E o que não rolou hoje foi a esperada transformação do iTunes em um serviço de música baseado na nuvem. O consenso parece ser que a Apple quer isso tanto quanto a gente, mas está tendo dificuldade em convencer as gravadoras a abraçarem a ideia.

O iTunes 10 já está disponível (teoricamente, já que neste momento a página de download ainda redireciona para o download do 9), grátis, para o mundo todo. O que significa que em breve os seus amigos vão começar a te encher o saco para ouvir aquele novo do Arcade Fire. Que, por sinal, é bem bom mesmo.