Já faz algum tempo que o Procon divulga uma lista negra de sites de comércio: lojas virtuais que não são recomendadas por acumularem muitas reclamações de seus clientes. A mais recente atualização da lista fez ela chegar à impressionante marca de 500 nomes.

Mas vamos com calma: nem todos esses 500 endereços estão no ar esperando para dar um golpe em alguma pessoa. Grande parte já foi retirada do ar, mas permanece na lista – a situação do site é referente à data de inclusão dele na lista. Se, quando foi adicionado, ele estava no ar, assim será marcado. Mas, se não estiver, aparece como “fora do ar”.

Para ser incluído, um site de comércio eletrônico precisa receber muitas reclamações de clientes até que seja notificado pelo Procon. Quando não responde à notificação, o Procon define que foi impossível “qualquer tentativa de intermediação entre as partes” e inclui o site entre os não recomendados.

Você pode conferir a lista completa aqui. [Procon]

Imagem via mtkang/Shutterstock