O panda gigante, aquele mamífero icônico dos filmes e desenhos animados, nos revelou uma curiosidade em relação as suas cores. O urso aplica o preto e branco para se camuflar dos predadores, segundo pesquisadores.

Usando fotos de pandas gigantes tiradas na natureza e análises de imagens de última geração, pesquisadores da Universidade de Bristol, da Academia Chinesa de Ciências e da Universidade de Jyväskyläa, descobriram que a coloração do animal fornece certo tipo de camuflagem em seu habitat. Os resultados da pesquisa foram publicados na Scientific Reports

Após uma análise de fotos, eles constataram que o pelo preto se mistura em tons escuros e troncos de árvore, enquanto os fios brancos combinam com a folhagem e a neve e a tonalidade intermediária harmoniza com as rochas e o solo.

Depois, os cientistas avaliaram uma segunda forma de camuflagem chamada coloração disruptiva, na qual limites altamente visíveis na superfície de um animal quebram seu contorno. Neste caso, as fronteiras entre as grandes manchas pretas e brancas de pelo do animal.

E como último experimento, a equipe usou uma técnica de mapa de cores para comparar uma métrica de similaridade com o fundo em diferentes espécies. A análise mostrou que a semelhança de fundo com o panda gigante caiu solidamente em relação a outras espécies que são tradicionalmente consideradas bem camufladas.

Ossi Nokelainen, autor principal do estudo, disse em comunicado que as raras evidências fotográficas permitiram que a equipe pudesse examinar a aparência do panda em seu ambiente natural pela primeira vez e com a ajuda da tecnologia de última geração, os pesquisadores foram capazes de tratar essas imagens como se os pandas fossem vistos por seus possíveis predadores usando técnicas de modelagem de visão aplicada, além de explorar sua coloração. Algo que ele definiu como ‘perturbadora’. 

Assine a newsletter do Gizmodo

Tim Caro, da Escola de Ciências Biológicas de Bristol, explicou no mesmo comunicado que, a equipe teve certeza de que estava no caminho certo porque, se eles não conseguiam ver o panda com seus ‘bons olhos de primata’, isso significava que os pretensos predadores carnívoros, também poderiam não ser capazes de enxergar.

[Phys]