No primeiro semestre do ano passado a Riot atualizou as políticas de privacidade do game Valorant, que passaram a permitir que a empresa pudesse gravar dados de voz para análise posterior. A Riot anunciou que vai começar a monitorar chats de voz no game a partir de 13 de julho.

O objetivo dessa nova política é coibir a proliferação de discurso de ódio no jogo. A empresa poderá ter acesso aos dados de áudio de Valorant sempre que algum jogador for denunciado por discurso preconceituoso ou de ódio. Caso seja comprovada alguma violação, o jogador denunciado pode ser banido do game.

Inicialmente, a Riot fará alguns testes apenas com jogadores de língua inglesa residentes na América do Norte e só depois a análise de áudio será expandida para o restante do mundo. Os usuários que não quiserem ter seus dados de áudios analisados precisarão desativar completamente o chat de bate-papo por voz.

A empresa garante que após a análise dos áudios de um perfil denunciado por comportamento inapropriado, os registros serão excluídos, assim como ocorre em investigações em chats de texto.

Em jogos online é praticamente impossível moderar o conteúdo dos chats em tempo real, e, infelizmente, não é difícil encontrar jogadores com discursos de ódio ou intolerante nas partidas.

No início de 2022, a Riot começou a permitir que os jogadores pudessem silenciar alguns termos ou frases no chat para melhorar a moderação de conteúdo ofensivo na plataforma.

Valorant, lançado em 2020, é um jogo multiplayer online de tiro em primeira pessoa, frequentemente citado como um dos melhores do gênero pela crítica especializada.

Veja mais notícias sobre o mundo dos games!

Microsoft promete diminuir (bastante) a latência em jogos do Xbox Cloud

“Far Cry 5”, “FIFA 22” e mais: confira os próximos jogos do Xbox Game Pass

Novo iOS 16 é compatível com controles Joy-Con, da Nintendo

Assine a newsletter do Gizmodo