David Bordwell fez onze espectadores usaram o Eyelink 1000, um rastreador de olhos com câmeras infravermelho. Assim ele pôde acompanhar os movimentos dos olhos deles, enquanto eles assistiam Sangue Negro (There Will Be Blood). Cada círculo representa os olhos de uma pessoa, e o tamanho de cada círculo representa quanto tempo eles passaram olhando para aquele ponto.

Daí eles fizeram um “mapa de calor”, baseados nessas informações, para saber o que as pessoas realmente veem quando assistem a um filme. Ou seja, transformaram isto…

nisto:

Você pode conferir mais imagens e detalhes no blog do David Bordwell, e assistir ao resultado final no Vimeo.

Mas para que serve isto? Como explica Bordwell, isso prova que os espectadores de cinema olham em geral para o mesmo ponto na tela ao mesmo tempo, como se os olhares fossem coordenados. Isso é bem interessante, e depende bastante do trabalho do diretor.

Além disso, o vídeo mostra que a maior parte da nossa atenção nos filmes fica no rosto e nas mãos dos atores. Então mesmo numa cena com a câmera parada, em vez de explorarmos toda a imagem, nossos olhos ficam apenas no rosto e nas mãos das pessoas. E o diretor pode usar isso para atrair sua atenção – por exemplo, com um ator batendo os dedos em um chapéu, para chamar a atenção para ele. No fim, como diz Bordwell, “o que [os espectadores] querem ver é o que o diretor quer que eles vejam”.

Agora coloquem Daniel Day-Lewis, que ganhou o Oscar por estrelar este filme, e uma gostosa do lado pra ver no que dá. [David Bordwell via The Daily What]