Em 1962, o governo dos Estados Unidos pensou que seria uma boa ideia mandar uma bomba de hidrogênio algumas centenas de quilômetros pra cima e detoná-la. Para, você sabe, ver o que rola. Décadas depois, você pode ver também. Isto.

A imagem recentemente deixou de ser segredo de Estado, e foi coletada por Peter Kuran para um documentário de título brilhante: Nukes in Space (Bombas no espaço). A NPR tem a reportagem completa aqui, mas a parte mais interessante é essa:

O plano era mandar os foguetes centenas de quilômetros pra cima, acima da atmosfera terrestre, e então detonar armas nucleares para ver: a) se a radiação da bomba deixaria mais difícil ver o que há lá em cima (tipo mísseis russos!); b) Se uma explosão causaria algum dano a objetos próximos; c) Se o Cinturão de Van Allen carregaria a energia da explosão para um alvo terrestre (Moscou, por exemplo); e – o mais peculiar – d) Se uma explosão causada pelo homem poderia alterar o formato natural dos cinturões magnéticos da Terra 

Então, era isso que o governo estava experimentando em 1962. Você sabe, coisas normais, tipo tentando alterar o campo magnético da Terra e ver se dá pra bombardear a Rússia do espaço.[NPR via io9]