Urinar nas ruas de São Francisco acaba de se tornar um negócio arriscado: as paredes por toda a cidade serão pintadas com um composto que repele líquidos e rebate a urina de volta quando alguém tenta fazer xixi numa parede.

Urinar em público é há anos um problema em São Francisco. A cidade baniu o ato em 2002, impondo multas que variam de US$ 50 a US$ 500 a quem for pego fazendo xixi na rua — mas na prática, a solução não fez muito para deter quem se alivia fora do banheiro.

Mas agora uma solução tecnológica promete dar conta do recado. De acordo com o SF Gate, oficiais acabaram de pintar nove paredes da cidade com um composto hidrofóbico que ricocheteia a urina, molhando os sapatos e as calças do infrator.

A mesma tecnologia foi usada nas ruas de Hamburgo, na Alemanha — lá, no entanto, o líquido foi aplicado por moradores do distrito cansados de encontrar urina na rua, e não pelo município, como é o caso de São Francisco. Veja como o líquido funciona:

Porém, ainda não é claro se a estratégia irá funcionar em São Francisco. O problema de urina nas ruas é provavelmente devido ao grande número de moradores de rua da cidade — e uma vez morando na rua, é compreensível que as opções de banheiro se tornem limitadas. Como recentemente mostrou o City Lab, “Pessoas que urinam na rua geralmente prefeririam urinar em banheiros… se não queremos que eles urinem nas ruas, temos que providenciar alternativas”.

No Brasil, o ato de urinar na rua não é crime. O ato de expor partes íntimas que é. Assim, urinar de costas não é crime configurado na Lei 3.688/41, uma vez que não há exposição. No entanto, fazer xixi na rua pode se tornar crime nos casos em que o infrator urina em “edificação ou monumento urbano”, de acordo com a Lei n.º 3.688. Crime ou não, a tecnologia seria muito útil em dias de festas nas ruas, como os carnavais no Brasil. [SF Gate]

Foto de capa: Manuel Faisco/Flickr