De acordo com o MIT, americanos engolem mais de 3.500 baterias com o tamanho de um botão a cada ano. Para ajudar essas pessoas, pesquisadores do instituto criaram um novo robô-origami projetado para recuperar objetos estranhos dentro do corpo.

Em vez de exigir cirurgia para ser inserido num paciente, o robô-origami é amassado, preso em gelo, e em seguida ingerido como uma cápsula cheia de vitaminas.

Uma vez no interior do corpo, o comprimido derrete, o robô se abre e pode ser manobrado usando um campo magnético externo. Ele consegue retirar baterias presas na mucosa estomacal, para serem eliminadas através do sistema digestivo.

robo origami

O robô utiliza um movimento “prende-solta” para se locomover. Minúsculos apêndices se prendem a uma superfície, dando a ele o atrito e tração necessários para se mover; então, quando ele se move e muda a sua distribuição de peso, os apêndices se soltam da superfície.

Como este robô-origami é projetado para funcionar dentro do corpo humano – que é feito principalmente de água – ele também possui pequenas barbatanas para ajudar a impulsioná-lo para a frente.

O pequeno robô foi codesenvolvido por pesquisadores do MIT, da Universidade de Sheffield (Reino Unido), e do Instituto de Tecnologia de Tóquio. Seu design semelhante a um acordeão foi aperfeiçoado através de experimentação por tentativa e erro.

No momento, os usos do robô estão limitados a apenas recuperar outros objetos engolidos que ficaram presos no estômago ou intestino. No futuro, suas capacidades poderiam ser expandidas a ponto de realizar operações cirúrgicas reais.

[MIT]

Foto por Melanie Gonick/MIT