Um dos modelos mais populares da Xiaomi foi o Pocophone F1, lançado em 2018 e que chamou a atenção de muita gente pelas especificações parrudas a um preço competitivo. O sucesso do aparelho foi tanto que a companhia chinesa decidiu criar uma marca independente chamada “POCO”.

Segundo o Android Authority, que recebeu um comunicado de imprensa da Xiaomi, a Poco terá identidade própria, um time próprio para tomada de decisões e marketing independente.

O Pocophone F1, inclusive, foi um dos primeiros escolhidos pela importadora DL para a estreia no Brasil. O modelo chegou por aqui em março de 2019 custando a partir de R$ 2.999.

“O que começou como uma sub-marca com o Poco cresceu com sua própria identidade em um curto período de tempo. Poco F1 é um celular muito popular entre diferentes grupos de usuários, e permanece um competidor em sua categoria mesmo em 2020. Sentimos que é a hora certa para deixar que POCO opere sozinha”, disse o vice-presidente da Xiaomi e diretor de gerência para Índia, Manu Jain, em um comunicado.

A marca Redmi também se tornou independente, em 2018, mas o modelo para a POCO é diferente. A Xiaomi provavelmente não terá nenhuma ligação com a nova marca, enquanto a Redmi continua sob o guarda-chuva da fabricante chinesa. O Android Authority diz que a empresa não quis divulgar mais detalhes sobre a empreitada.

Por enquanto, isso significa que poderemos ver um novo Pocophone em breve. O Gizmodo Brasil entrou em contato com a DL para saber se a empresa pretende fechar algum acordo comercial com a POCO. O post será atualizado se obtivermos respostas.