Eis uma dica para quem estiver a fim de sair mais cedo do trabalho: favor não atear fogo no seu local de trabalho.

Especialmente se você trabalha em um submarino nuclear multimilionário. Especialmente se você vai causar US$400 milhões em prejuízo. E especialmente se você quer sair mais cedo por causa de uma briga boba via mensagem de texto com sua ex-namorada. É uma burrice completa, e você pode ser ameaçado de prisão – como este cara aqui.

Casey James Fury, o incendiário rapaz de 24 anos, trabalhava no submarino USS Miami com pintura e jateamento de areia em Portsmouth (EUA). Ele começou a brigar com a ex-namorada via mensagem de texto, porque ela estava saindo com outro cara e isso lhe deixou nervoso. Tão nervoso que ele não conseguia mais trabalhar, então a única solução lógica foi tacar fogo no local para sair mais cedo, segundo o USA Today:

Ele saiu com seus cigarros e um isqueiro e subiu até uma cabine intermediária, onde ele encontrou um aspirador de pó e panos em uma beliche. “Ele então ateou fogo nesses panos com um isqueiro Bic, e depois de ver as chamas a aproximadamente 5cm de altura nos panos, ele saiu da cabine, foi até a sala dos torpedos e voltou a trabalhar…”

[U]ma investigação preliminar determinou que o incêndio começou em um aspirador de pó… A Marinha disse na época que os detalhes sobre como o aspirador de pó pegou fogo seriam divulgados futuramente.

O incêndio deixou sete pessoas feridas, causou US$400 milhões em prejuízo e obrigou mais de cem bombeiros a combater o fogo por 12 horas. E este não foi o único incêndio que ele causou! Fury continuou trabalhando no estaleiro porque não sabiam que a culpa era dele. E algum tempo depois, veio mais outro incêndio, desta vez em um barco suspenso fora d’água em um dique seco. De acordo com o Boston Herald:

[O Sr. Fury] supostamente disse às autoridades que ele começou a caminhar e acabou andando até a parte de trás da embarcação, onde ele viu um saco de panos com álcool.

Ele então retirou os panos… e colocou alguns deles, com um pedaço de madeira compensada, em uma estrutura que segura o barco enquanto ele fica suspenso no dique seco… Autoridades dizem que ele então usou um isqueiro para começar o incêndio.

Desta vez, o fogo causou “de pouco a nenhum” dano. Mas durante as investigações, Fury não passou no detector de mentiras, e acabou confessando a autoria dos incêndios. Ele disse às autoridades que estava tomando um monte de remédios, “incluindo Celexa para ansiedade e depressão, Klonopin para ansiedade, Ambien para insônia e Xertec para alergias”.

Fury começou a ser julgado esta semana, e pode ser condenado à prisão perpétua, além de multa de até US$250.000 mais indenização. [AP, USA TodayBoston Herald]