Provavelmente, você já comprou muitos presentes, mas se você é como eu e deixou para a última hora, nesta temporada de festas, eu imploro que você não compre nenhum gadget ainda com uma porta microUSB.

Agora, obviamente, isso vem com a ressalva de que, às vezes, você simplesmente não tem escolha, mas muitas vezes tem, e em algumas situações, seria muito mais benéfico para você (ou quem está recebendo o gadget) optar por algo com USB-C.

Para mim, isso veio à tona recentemente quando eu estava prestes a comprar um Kindle para minha esposa. Lá estava eu, esperando na fila para pagar quando me lembrei de que, como todo aparelho Kindle – até o Kindle Oasis mais caro de US$ 250 – ainda conta com uma porta microUSB, dar um desses de presente é essencialmente condenar alguém a manter um cabo microUSB por aí nos próximos cinco anos ou mais. E, como entusiasta da tecnologia, é algo que simplesmente não posso fazer em sã consciência.

Olhe para todas essas gloriosas portas USB-C, e estas são apenas nos sistemas que consegui pegar em apenas alguns minutos. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Olha, eu sei que tem sido uma transição um tanto difícil, já que os dispositivos mudaram lentamente para o USB-C, mas finalmente chegamos a um ponto em que realmente temos um cabo/porta que funciona para tudo.

Praticamente todo novo smartphone que não é um aparelho econômico de US$ 250 vem com uma porta USB-C. O mesmo vale para a maioria dos laptops, incluindo toda a linha de MacBooks da Apple e todos os iPad Pro. Hoje em dia, a maioria dos fones de ouvido sem fio vem com caixas de carregamento com USB-C, e até fabricantes como a Logitech estão trocando portas microUSB por USB-C em seus teclados e mouses.

Isso pode não parecer algo muito importante, mas em uma recente viagem ao exterior, a única coisa que eu precisava para manter todos os meus dispositivos abastecidos era dois power banks e dois cabos: um cabo USB-C duplo e um USB tipo A para cabo tipo C. Na verdade, perdi mais espaço carregando adaptadores de energia internacionais, o que acabei realmente não precisando, porque quase todos os hotéis em que fiquei tinham portas de alimentação USB tipo A, além de qualquer plugue de energia que o país normalmente usa.

Certamente, adicionar mais um cabo não é um grande problema, mas ainda é realmente irritante se a única razão pela qual você precisa desse cabo é carregar um único dispositivo desatualizado. E para os usuários da Apple, as coisas podem ser ainda mais frustrantes, porque, além de precisar de cabos USB-C para carregar cabos de MacBooks e Lighting para iPhones e iPads normais, você pode ser obrigado a carregar um terceiro conjunto de cabos para suportar dispositivos microUSB, adicionando ainda mais coisas à sua mala.

Qualquer empresa que ainda esteja usando o microUSB está sendo mão-de-vaca. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Então, por que as empresas continuam montando dispositivos com o microUSB? Normalmente, quando peço uma razão às empresas, os porta-vozes afirmam que, porque já existem tantos dispositivos microUSB no mercado, as empresas não querem agitar o barco e estão simplesmente usando a porta atualmente encontrada no maior número de dispositivos. Mas se você pensar bem, essa é uma mentalidade derrotista, porque se uma empresa continuasse a adicionar o que já existe em seus dispositivos, ela nunca mudaria para algo novo.

Também é besteira, porque a verdadeira razão pela qual as empresas não gostam do USB-C é dinheiro. A implementação de uma porta microUSB em um gadget custa centavos por dispositivo, enquanto a atualização para USB-C pode custar entre quatro e 10 vezes mais por ser uma porta mais nova. E quando você considera um custo adicional entre 15 e 25 centavos de dólar por dispositivo e multiplica isso por centenas de milhares ou até milhões de dispositivos, você pode ver por que as empresas podem optar pelo caminho mais barato e fácil.

Continuar a colocar portas microUSB em aparelhos simplesmente porque é tradicional é um tiro no pé. Todo novo dispositivo lançado com portas desatualizadas impede ativamente o USB-C de se tornar o padrão universal com o qual as pessoas sonham há décadas.

Felizmente, existe um pouco de luz no fim do túnel, porque, embora todo leitor digital da Amazon ainda possua microUSB, a Amazon adicionou o USB-C a um dos novos tablets Fire HD 10 deste ano. E é uma situação semelhante para gamepads também. Embora os controles de PS4 e Xbox One padrão usem microUSB, a Microsoft deu pequenos passos ao colocar USB-C no novo Xbox Elite Controller Series 2. E, caramba, é um mundo estranho quando a Nintendo, de todas as empresas, é a que usa o USB-C, enquanto tantas outras continuam ficando para trás.

Infelizmente, o mais recente controle topo de linha da Microsoft custa US$ 180, o que é mais do que o triplo do preço de um gamepad padrão do Xbox One, por isso não vale muito a pena se tudo o que você quer é se livrar do microUSB. Em situações como essa – em que você não tem muitas opções – talvez seja necessário considerar o quanto você precisa de algo e com que frequência alguém usará esse dispositivo durante o próximo ano.

Existem adaptadores que podem converter cabos microUSB em USB-C, mas eles não ajudam muito quando novos dispositivos são lançados com uma porta desatualizada. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Em 2020, ainda mais dispositivos virão de fábrica com o USB-C, para que as empresas não corram o risco de se sentirem envergonhadas por serem mesquinhas e atrasadas. Também estou disposto a apostar que a Amazon começará a colocar o USB-C em todos os Kindles e na maioria dos outros dispositivos daqui para frente; portanto, se você puder aguentar mais um pouco, terá menos dores de cabeça no futuro. E se você é um gamer, pode deixar de comprar um novo controle este ano, considerando que a Sony e a Microsoft terão novos consoles à venda no próximo outono.

Um dos maiores benefícios da tecnologia é poder simplificar a vida das pessoas. Mas, neste momento, a compra de novos gadgets com microUSB torna as coisas mais complicadas, e não menos. Às vezes você não tem escolha, mas se tiver, eu imploro que você não compre gadgets com microUSB.

Quanto à minha esposa, contei a ela sobre meu dilema e, felizmente, ela concordou. Para ela, ficar com seu Kindle atual mesmo com um pequeno problema na tela (e é por isso que eu queria dar um novo para ela) era menos irritante do que adquirir um Kindle novinho em folha com o microUSB que deveria estar morto.