No dia 5 de junho, o planeta Vênus parecerá estar passando na frente do Sol se visto da superfície da Terra. Este fenômeno, conhecido como o trânsito de Vênus, acontece apenas algumas vezes em 250 anos. A próxima será em 2117. Aqui tem um guia de onde e como assistir esse evento único na vida de quase todos nós. Mas por que ele é importante?

Ele dá uma perspectiva interplanetária

Os trânsitos de Vênus eram ouro científico para os primeiros astrônomos, que os usavam para derivar uma medida precisa do tamanho do sistema solar. Relacionando o tempo que cada planeta levada para girar em torno do Sol e então cruzando esses dados através de métodos desenvolvidos no século 17 pelo matemático Johannes Kepler, esses cientistas equipados com telescópios podiam determinar a distância relativa de cada planeta do Sol, medida em unidades astronômicas (a distância da Terra até o Sol). Coletar esse tipo de informação durante um trânsito era o motivo pelo qual o Capitão Cook foi capaz de navegar metade do trajeto ao redor do mundo, de Londres ao Taiti, em 1769.

Para 2012, um astrônomo holandês chamado Steve van Roode criou um app para smartphone, o VenusTransit, que permite simultaneamente observa o trânsito de diferentes partes do mundo. Para usar o app, toque a tela no exato momento em que Vênus entrar completamente na frente do Sol (Contato II, como é chamado). O app reconhece a localização precisa do observador na Terra. Então, ele coleta os dados necessários para fazer a mensuração mais correta possível baseada em terra do tamanho do sistema solar, tudo isso enquanto o trânsito ainda acontece!

Mas espere, nós já não sabemos a distância do Sol? Sim. Equipamentos no espaço nos dão medidas diretas bastante precisas do tamanho do sistema solar. O projeto de Van Roode é apenas um exemplo bacana da ciência cidadã, de pessoas comuns ao redor do globo coletando dados científicos.

Por que um trânsito de Vênus não acontece todo ano?

O Sol está no centro do sistema solar. Então vem Mercúrio, depois Vênus, Terra e o restante dos planetas (que não importa nessa questão, então esqueça-os. Esqueça momentaneamente Mercúrio também.) Foque no Sol, em Vênus e na Terra. Fomos acostumados a pensar no sistema solar como uma linha numerada, com todos os planetas alinhados da esquerda para a direita em um eixo X. Mas não é esse o caso.

Vênus e a Terra giram em torno do Sol em velocidades diferentes, em órbitas quase circulares — um ano em Vênus termina antes que 2/3 de um ano na Terra sejam completados. Isso significa que em um dado momento, Vênus poderia estar atrás do Sol ou ao lado do Sol ou  do mesmo lado do Sol se visto da Terra. O Sol, Vênus e a Terra apenas se alinham perfeitamente a cada 584 dias mais ou menos.

Então, por que não há um trânsito de Vênus a cada 584 dias?

Porque a órbita de Vênus é inclinada em cerca de 3,25º em comparação com a da Terra. Isso significa que quando Sol, Vênus e Terra estão alinhados, Vênus pode estar tanto 3,25º acima do Sol, quanto 3,25º abaixo do Sol ou em qualquer espaço entre isso. Como o Sol tem apenas 0,5º de largura no nosso céu, Vênus poderia estar em uma região com 15 diâmetros solares de largura! Não é difícil compreender porque é tão raro (como em centenas de anos) Vênus calha de passar diretamente em frente ao Sol, como ele fará daqui a pouco. [Imagem: Dark Sky Photos]