Segundo autoridades e relatórios locais, a antena parabólica de 300 metros do Observatório de Arecibo, em Porto Rico, desabou na manhã desta terça-feira (1°). Há meses a plataforma estava em situação precária, quando um dos cabos de sustentação do telescópio principal se partiu. Depois, veio uma sucessão de novos incidentes, dificultando a estabilidade da estrutura.

A meteorologista Deborah Martorell tuitou uma imagem do local que mostra a plataforma de 900 toneladas no chão, e não mais suspensa sobre a antena de 57 anos, sugerindo que ela havia caído. A Associated Press informa que o prato quebrou, mas os detalhes ainda são escassos.

Olhando para a foto de Martorell, parece que, embora a grande plataforma tenha desabado, as três torres de suporte ainda estão de pé. É um alívio, pois temia-se que outra falha no cabo também derrubasse as torres. Outros edifícios do Observatório de Arecibo, como as instalações do LIDAR e o centro de visitantes, correram o risco de serem danificados pela queda das torres.

Pelo Twitter, a U.S. National Science Foundation (NSF) disse que “buscará maneiras de ajudar a comunidade científica e manter nosso forte relacionamento com o povo de Porto Rico”.

A grande antena parabólica do Observatório de Arecibo – a segunda maior do mundo – será demolida, depois que engenheiros determinaram que não poderia ser reparada com segurança após uma segunda falha de cabo.

Observatório de Arecibo. Imagem: UCF Today

Este era o Observatório de Arecibo em 2019, bem antes dos primeiros incidentes prejudicarem a estrutura do local. Imagem: UCF Today

A decisão de renunciar aos reparos e demolir o prato grande agora parece ter sido a escolha sensata. As empresas de engenharia contratadas para avaliar as condições da instalação disseram que a estrutura estava em risco iminente de falha “catastrófica” e que não poderia ser reparada sem colocar os trabalhadores da construção em perigo, de acordo com a NSF. A área ao redor do prato era restrita, então ninguém circulava na área quando a plataforma caiu. Portanto, não houve feridos.

Os problemas na instalação começaram em agosto, quando um cabo auxiliar escorregou de seu soquete, criando um grande corte no prato. Então, no mês passado, um cabo principal se rompeu. Sem esses cabos, a estabilidade geral da estrutura parecia estar em perigo. A National Science Foundation, a conselho das firmas de engenharia independentes, então tomou a difícil decisão de desativar o prato na parte superior do telescópio.

A perda desta antena é uma notícia devastadora para a comunidade científica, já que a instalação contribuiu muito para a nossa compreensão dos corpos planetários, objetos próximos à Terra, exoplanetas, ondas gravitacionais e pulsares. A antena parabólica de Arecibo também foi usada na busca por inteligência extraterrestre. Cerca de 250 cientistas de todo o mundo estavam usando o observatório quando ele foi fechado em agosto. O observatório atraía cerca de 90 mil visitantes por ano.

Apesar deste contratempo, os trabalhos do Observatório de Arecibo devem continuar, mas agora sem o uso do prato gigantesco do telescópio. A instalação LIDAR, por exemplo, ainda será capaz de escanear a alta atmosfera e a ionosfera, presumindo que não foi danificada no colapso desta terça-feira.