Temos uma boa e uma má notícia. A boa é que o Flickr estendeu o prazo para os usuários baixarem suas imagens de seus servidores antes de começar a apagar fotos em massa. A má é que isso definitivamente vai mesmo acontecer em meados de março. Então, é sério, faça disso uma prioridade desta vez se você quiser salvar suas coisas.

“Com base no feedback de nossos membros e nas complicações que alguns deles tiveram ao baixar fotos ontem (5), estendemos nosso prazo de elegibilidade para exclusão até 12 de março de 2019”, disse a empresa ao CNET, em um comunicado na quarta-feira (6).

A companhia disse meses atrás que planejava reduzir as contas livres de um terabyte para apenas mil imagens e excluir o que passasse esse limite em 5 de fevereiro. Depois disso, se os usuários quisessem postar mais fotos no site, teriam que comprar uma conta Flickr Pro, que vai custar US$ 50 por ano. O Flickr anunciou essas mudanças em novembro de 2018, como parte de uma reformulação para focar em assinaturas pagas depois que a empresa foi comprada pela SmugMug no ano passado.

Porém, apesar de dar aos usuários tempo suficiente para se prepararem para essa grande limpeza de fotos, muitos não estavam, digamos, preparados. O problema, como o Gizmodo apontou anteriormente, é que não há um botão único para fazer isso de uma só vez. Em vez disso, os usuários têm a tarefa de baixar suas fotos em lotes de 500 — o que, como você pode imaginar, pode ser uma verdadeira dor de cabeça para qualquer um com mais de milhares de imagens compartilhadas na plataforma.

Alguns usuários também relataram ter recebido mensagens de erro enquanto estavam tentando baixar suas fotos, o que parece ter sido parte da razão pela qual a empresa adiou o prazo para 12 de março, segundo indica o comunicado da companhia. Não é nem preciso dizer que alguns usuários do Flickr pareceram genuinamente satisfeitos por ter mais um mês para resolver isso.

Para te ajudar no processo de salvar suas fotos publicadas no Flickr, criamos aqui um guia passo a passo de como baixar suas imagens. Mas, sério, cuidado para não perder o prazo.

[CNET]