Em fevereiro, cientistas confirmaram a existência de ondas gravitacionais, um recurso cosmológico previsto por Albert Einstein. Em reconhecimento por sua conquista marcante, os cientistas envolvidos no estudo vão ganhar um prêmio especial de US$ 3 milhões.

>>> Nós encontramos ondas gravitacionais. E agora?
>>> As dúvidas mais interessantes sobre ondas gravitacionais, respondidas

O Special Breakthrough Prize foi criado pelo bilionário russo Yuri Milner, junto com diversos pioneiros da tecnologia, incluindo o fundador do Facebook Mark Zuckerberg e o co-fundador do Google Sergey Brin. O prêmio é entregue em caso de uma grande descoberta científica, e certamente as ondas gravitacionais se encaixam nisso.

No dia 11 de fevereiro, pesquisadores do Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser (LIGO, na sigla em inglês) confirmaram a presença das ondas gravitacionais, ondulações no universo causadas por eventos cosmológicos altamente energéticos. A fonte do sinal foi uma colisão de buracos negros supermassivos que ocorreu há 1,3 bilhão de anos atrás. Einstein previu as ondas gravitacionais em 1916, mas foi o LIGO que fez a descoberta ser possível.

“Esta descoberta tem uma grande importância: em primeiro lugar, como evidência para a relatividade geral e suas previsões sobre interações de buracos negros, e em segundo lugar como o início de uma nova astronomia que vai revelar o universo através de um meio diferente,” disse o físico Stephen Hawking, que ganhou o Special Breakthrough Prize em 2013. “A equipe do LIGO merece demais o prêmio.”

Os três fundadores do LIGO – Kip Thorne, Rainer Weiss e Ronald Drever – vão compartilhar US$ 1 milhão. Os 1.012 outros cientistas e engenheiros que contribuíram para o projeto vão dividir os US$ 2 milhões restantes, e cada um ficará com cerca de US$ 2.000. Esse grupo inclui muitos dos envolvidos no LIGO e no experimento Virgo Collaboration.

Aleluia para isso. Nos dias de hoje, as grandes descobertas científicas são raramente resultado de uma pessoa ou de um grupo pequeno, então é bom ver que todas essas pessoas envolvidas no projeto vão ser recompensadas pelo trabalho. Além disso, é bom ver cientistas finalmente terem o reconhecimento e a compensação financeira que realmente merecem.

“Para nós, passou basicamente meio século desde que nós três começamos a trabalhar neste campo, e ter feito isso com sucesso da forma como sonhamos – isso foi realmente marcante e maravilhoso,” notou Thorne em um artigo na Reuters. “Sou eternamente grato à equipe que fez isso acontecer.”

Os vencedores serão premiados em uma cerimônia a ser realizada ainda neste ano.

[Breakthrough Prize, Reuters]