As atualizações do Android costumam demorar meses para chegar em nossos smartphones, a não ser que você tenha um Pixel. Já estamos calejados, mas a insatisfação em ver novas funcionalidades e ter que esperar meses para recebê-las é sempre a mesma. Com o Android P isso pode mudar, pelo menos em alguns modelos que possuem os processadores Snapdragon 845, 660 e 636 da Qualcomm.

O trio vem com uma otimização que permite pular algumas etapas do processo tradicional de atualização do Android, graças ao Project Treble, anunciado no Google I/O do ano passado.

• Aqui vai uma lista de todos os recursos do Android P mostrados no Google I/O 2018
• Google quer acelerar as atualizações do Android com o Project Treble

Geralmente, uma atualização do Android vai do Google para os fornecedores de componentes internos para que desenvolvam drivers. Enquanto isso não fica pronto, a nova versão não pode ir para o desenvolvimento e teste de firmware, feito pelas fabricantes e operadoras. Só depois de todo esse processo, que pode levar meses, o novo Android chegava ao consumidor.

O Project Treble encurta o caminho ao separar o código relevante para todo o sistema operacional daqueles específicos de fabricantes de hardware, permitindo que as etapas que descrevemos acima possam ser trabalhadas simultaneamente. É como se o Android fosse operado em módulos, alguns relevantes aos fornecedores de hardware e outros para as fabricantes e operadoras.

A Qualcomm, por sua vez, já otimizou o Android P nesses três processadores. As fabricantes que utilizam qualquer um deles em seus aparelhos poderão ser mais ágeis para liberar a atualização.

Alguns dos smartphones que são equipados com um desses chips da Qualcomm incluem o Galaxy S9, LG G7 ThinQ, Zenfone 5, os novos Zenfone 4, Xiaomi Redmi Note 5, entre outros. Agora vai depender das fabricantes liberarem o update mais rápido.

Imagem do topo: Qualcomm