Todo material usado em construções tem um limite teórico em que ele não pode mais ser utilizado: em algum ponto, o peso do material que está por cima é suficiente para quebrar o que está em baixo. Agora, uma equipe de engenheiros descobriu qual é esse limite para o Lego — e ele é mais alto do que você imagina.

Um time de pesquisadores da Open University do Reino Unido decidiu solucionar as especulações — que incluem debates quentes no Reddit — abordando a questão cientificamente. De acordo com uma reportagem da BBC, foi assim que eles fizeram.

Sob pressão

Para descobrir o quão alta uma torre pode ser antes de se quebrar, você precisa saber duas coisas: a massa do material e a tensão de escoamento — esta última define quanta carga um material pode suportar até que ele comece a se deformar.

Para resolver essa questão, você precisa de um equipamento sofisticado: uma máquina de testes hidráulicos. Então, os engenheiros pegam o espécime a ser testado — uma pecinha 2×2 de Lego — e a colocam no dispositivo. Aí eles começaram a espremê-la até as coisas começarem a ficar interessantes. Eles adicionaram 350kg e se perguntaram se estavam fazendo algo de errado. A carga precisou chegar a 430kg para o bloquinho começar a ceder lentamente — o que é chamado de deformação plástica.

Não é barulhento nem dramático, mas é, definitivamente, o fim de uma pecinha de Lego, como você pode ver na foto: ela foi espremida até ficar plana. Outros experimentos confirmam que o tijolinho médio de 2×2, que é feito de plástico ABS, pode suportar 430kg.

Faça as contas

Agora que você já sabe qual a carga máxima que uma peça pode suportar, calcular a altura máxima da torre é relativamente fácil. Uma pecinha como a testada pesa apenas 1,152 gramas. A partir disso, você pode descobrir quantos bloquinhos serão necessários para criar o peso de 430kg que a primeira peça pode suportar.

Para poupar você de abrir a calculadora, a conta dá 375 mil pecinhas. Você pode empilhar trezentos e setenta e cinco mil tijolinhos de 2×2, um sobre o outro, antes que o primeiro quebre como nos experimentos. Multiplique esse número pela altura de cada pecinha — que é 9,6mm — e você verá que, teoricamente, pode-se criar uma torre de 3.591 m até que tudo dê errado.

É bom lembrar que construtores experientes de Lego têm uma série de técnicas de montagem para criar torres gigantes e minimizar a massa. Além disso, os pesquisadores ainda acreditam que pecinhas de 1×2 podem suportar ainda mais. Então, teoricamente, uma torre ainda mais alta poderia ser feita.

Isso tudo é, no entanto, teoria. Na prática, montar uma torre de mais de três quilômetros seria impossível: na vida real, a carga não seria perfeitamente igual ou simétrica, fazendo com que até as menores imperfeições tivessem seus efeitos amplificados. É uma pena. [BBC]