O Reino Unido anunciou nesta terça-feira (14) a proibição de uso de equipamentos de telecomunicações de rede 5G da Huawei. Com a decisão, as operadoras poderão comprar aparelhos da companhia chinesa até 31 de dezembro de 2020, e o plano é remover toda a base instalada até 2027.

A decisão mostra uma grande mudança de posicionamento do Reino Unido. No início do ano, o Reino Unido, reconhecendo a importância da Huawei, havia limitado a presença da companhia em 35% em fibra óptica e em 5G, além de proibir a presença de dispositivos em sistemas centrais das redes.

O governo britânico parece ter sido convencido aos poucos pelo Estados Unidos de que os equipamentos chineses não eram confiáveis. Em tempo: até o momento não houve nenhuma evidência apresentada publicamente sobre espionagem feita por meio de dispositivos da Huawei.

Em comunicado, o governo britânico alega que a decisão tem relação com as sanções dos EUA, que foram impostas em maio.  Diz o anúncio:

“Especialistas do NSC (Conselho Nacional de Segurança) analisaram as consequências das sanções e concluíram que a companhia [a Huawei] precisará fazer uma grande reconfiguração da sua cadeia de suprimento, já que não terá mais acesso à tecnologia da qual ela depende atualmente, e que nós temos total confiança. Eles [os especialistas] concluíram que as novas restrições tornam impossível de continuar a garantir a segurança dos equipamentos da Huawei no futuro”

Portanto, de forma resumida, o Reino Unido resolveu banir a Huawei por causa de uma sanção dos Estados Unidos, que impediu que a companhia chinesa usasse tecnologia americana em seus semicondutores. Aparentemente, o país teme que a tecnologia chinesa tenha mais falhas de segurança do que os componentes americanos.

Após o anúncio do governo britânico, a Huawei soltou um longo posicionamento sobre a situação:

“Esta decisão decepcionante é uma má notícia para qualquer pessoa no Reino Unido com um telefone celular. Ela ameaça reduzir o ritmo de inovação digital, elevar o preço das contas e aprofundar desigualdades no acesso à tecnologia.

Em vez de ‘subir o nível’, o governo está abaixando e pedimos que reconsidere sua decisão. Continuamos confiantes de que as novas restrições dos EUA não afetariam a resiliência ou a segurança dos produtos que fornecemos ao Reino Unido.

Lamentavelmente, nosso futuro no Reino Unido tornou-se politizado, trata-se da política comercial dos EUA, e não de segurança. Nos últimos 20 anos, a Huawei se concentrou na construção de um Reino Unido melhor e conectado. Como empresa responsável, continuaremos a apoiar nossos clientes como sempre fizemos.

Conduziremos uma revisão detalhada do que o anúncio de hoje significa para nossos negócios aqui e trabalharemos com o governo para explicar como podemos continuar contribuindo para tornar o Reino Unido mais conectado”