Conseguir a última gota do xampu ou do detergente pode ser bem difícil. Pesquisadores agora conseguiram desenvolver um revestimento de superfície que permite que produtos espessos e ensaboados deslizem facilmente de seus frascos — significando que você nunca mais precisará deixar o frasco de cabeça para baixo.

Em um novo estudo, os pesquisadores da Universidade do Estado de Ohio Bharat Bhushan e Philip S. Brown descrevem um novo tipo de revestimento de superfície que permite que líquidos, como xampu e óleo, deslizem sem muito atrito para fora de um frasco. Esta superfície super repelente é feita de polipropileno, um plástico comum usado para embalar comida e outros produtos de consumo.



detergente

 

Detergente é derrubado em pedaço de plástico tratado com um novo revestimento. Imagem: Universidade do Estado de Ohio

Revestimentos de superfície já existem para ajudar a despejar comida em contêineres, mas, como observado por Bhusan, em um comunicado à imprensa, “comparado com líquidos de limpeza, tirar o ketchup de um recipiente é tranquilo. Nosso revestimento repele líquidos em geral, porém fazer com que ele repelisse detergente foi a parte mais difícil.”

A questão toda tem relação com a tensão da superfície, que é a tendência de moléculas se grudarem umas às outras. No caso de ketchup e outros molhos com bastante água, as moléculas de água se juntam mais a elas mesmas que no plástico. Compostos ensaboados, ao contrário, têm pouca tensão com a superfície e ficam mais juntos do plástico. Os cientistas tiveram dificuldade de achar a fórmula correta que permite que esses surfactantes deslizem facilmente. Ao mesmo tempo, a solução deveria ser também ecologicamente correta e barata.

Superfícies que repelem líquidos com baixa tensão de superfície são chamadas superoleofóbicas, e elas na verdade já existem na natureza (o efeito de lótus é um bom exemplo). Para criar uma superfície nova e altamente repelente, os pesquisadores acharam uma maneira de fabricar um revestimento com certo nível de rugosidade. Como a superfície da folha de Lótus, este material escorregadio permitiu a produção de pequenos bolsões de ar entre a superfície e o óleo, enquanto também provê uma superfície com baixa tensão.

nanoparticula-silica

Nanopartícula de sílica. Foto: Universidade do Estado de Ohio

Isso foi feito ao jogar um pouco de spray de solvente e nanopartículas de sílica ultrafinas dentro do frasco. Estas pequenas estruturas parecem travesseiros com formato de coração e bem esquisitos, mas que são tão fortes como vidro. Quando o detergente ou óleo entram em contato com o revestimento incorporado com estas nanopartículas, estas moléculas não caem nos ramos resultantes. O que acaba criando bolsões de ar por baixo que, por sua vez, fornecem repelência líquida. Logo, em vez de se espalhar pela superfície, as gotas do produto ficam deslizando pelo recipiente, facilitando sua saída.

Eventualmente, os recipientes equipados com este revestimento super escorregadio podem começar a aparecer nas prateleiras em breve. No entanto, os pesquisadores devem resolver uma grande limitação antes de avançarem na tarefa: o recurso vai perdendo efeito com o tempo. Eles vão ter de achar uma maneira de fazê-lo funcionar por mais tempo.

[Univeridade do Estado de Ohio]