Estamos presenciando o fim de uma era: a última fabricante de videocassete vai parar de produzi-los em agosto.

A última sobrevivente deste mercado não é uma empresa grande e conhecidíssima, como a Panasonic, que parou de fabricar no ano passado. Trata-se da japonesa Funai Electric, que tem enfrentado problemas em obter peças e pelas baixíssimas vendas. A Funai já chegou a vender 15 milhões de videocassetes por ano, mas esse número caiu consideravelmente. No ano passado, eles venderam apenas 750 mil unidades.

>>> Só agora a Sony vai matar de vez as fitas de vídeo Betamax
>>> YouTube comemora 57 anos do videocassete com modo de vídeo analógico

Os videocassetes da Funai Electric são fabricados na China e vendidos em muitos lugares com diferentes marcas, como Sanyo.

A briga entre as tecnologias Betamax contra VHS já foi enterrada há um bom tempo e a venda de videocassetes caiu vertiginosamente com a ascensão de outras tecnologias. Mesmo assim, alguns corajosos continuam a comprar unidades, o box de fitas cassete do Star Wars foi um sucesso, segundo um levantamento da Amazon de 2015. A coleção de fitas, aliás, se tornou um negócio estranhamente lucrativo. Alguns colecionadores dizem que as fitas são análogas aos discos de vinil.

Para propósitos culturais, o Museum of Endangered Sounds (algo como Museu dos Sons em Extinção) vai assegurar que seus filhos consigam ter noção de como era o som de videocassetes. E antes que você jogue seu aparelho fora, lembre-se que as peças do seu aparelho podem ser vendidas por um preço alto, dada a escassez no mercado.

[Mental Floss e The Verge]