Ciência

Rover da NASA encontra rochas em forma de “pipoca” em Marte

Com cerca de 45 centímetros largura, a rocha de tons claros se destaca no solo avermelhado de Marte.
Imagem: NASA/JPL-Caltech/Reprodução

Ao explorar uma nova cratera em Marte, o rover Perseverance, da NASA, encontrou algumas rochas de tons mais claros nunca antes vistas no planeta vermelho. A rocha era tão incomum que a agência brincou dizendo que o formato das rochas era similiar à “pipoca”.

whatsapp invite banner

O Perseverance — que pousou em Marte em 2021 — encontrou as rochas no início deste mês. Segundo a NASA, a  descoberta aconteceu quando o rover atravessava o Neretva Vallis – um delta de um rio em Marte que secou há mais de três bilhões de anos. Nessa região, a NASA examinou as amostras dos afloramentos geológicos em busca de resíduos orgânicos que possam esclarecer a história de Marte. 

Rota da missão Perseverance

Para evitar as dificuldades do terreno, o rover teve que alterar seu curso durante a rota, pegando um atalho através de um campo de dunas. Assim, o Perseverance conseguiu chegar à colina Mount Washburn, encontrando uma diversidade de minerais e rochas.

Mapa mostrando trajeto do rover da NASA em Marte

Mapa mostra trajeto do rover Perseverance entre 21 de janeiro e 11 de junho. Pontos brancos indicam onde o rover parou após completar uma travessia ao lado do canal do Neretva Vallis. As linhas azuis representam a rota do rover pelo canal. Imagem: NASA/JPL-Caltech/Divulgação

Algumas dessas rochas são de um tipo que “nunca havia observado anteriormente em Marte”. De acordo com a NASA, uma delas, aliás, intrigou os cientistas aqui na Terra. Com 45 centímetros de diâmetro e 35 centímetros de comprimento, essa rocha de tons claros se destaca entre as mais escuras na colina.

O líder da missão Perseverance batizou essa categoria de rochas de “Atoko Point”, homenageando uma área no Grand Canyon. Contudo, segundo a própria NASA, a equipe da Perseverance apelidou essas rochas de “rochas do tipo pipoca” devido à peculiaridade do seu formato em relação a outras rochas em Marte.

Atoko Point: as rochas de “pipoca” em Marte 

A NASA examinou a composição mineral desse conjunto de rochas “pipoca” usando os instrumentos do rover em Marte, sugerindo a presença de piroxênio e feldspato. Ainda de acordo com a NASA, esse tipo de rocha é “única” devido ao seu tamanho, forma e arranjo geral dos minerais. Veja, abaixo:

Foto mostrando rocha "pipoca" em cor natural pela câmera do rover, antes da edição.

Usando 18 imagens, esse mosaico de cores naturais mostra a rocha “pipoca” no Mount Washburn, na Cratera Jezero, em Marte. A outra versão aprimora a cor do mesmo mosaico, com as faixas de cores processadas para melhorar o contraste visual e acentuar as diferenças entre as cores. As linhas azuis representam a rota do rover pelo canal. Imagem: NASA/JPL-Caltech/Divulgação

Piroxênio e feldspato são minerais também presentes na Terra e na Lua. Por isso, alguns cientistas da missão especulam que os minerais nas rochas de “pipoca” podem ter vindo do magma que se formou abaixo da superfície de Marte. Ao longo do tempo, esse magma ficou exposto no anel da cratera Jezero devido à erosão.

Outros membros da equipe sugerem que o Atoko Point parece não pertencer à Washburn Hill. Para eles, a rocha surgiu, possivelmente, em uma parte diferente do planeta e se moveu com o canal do antigo rio para sua localização atual.

No entanto, a NASA afirmou que todos os cientistas da missão Perseverance acreditam que há mais rochas com uma composição similar – ou com formato de pipoca – em outros lugares de Marte.

Assine a newsletter do Giz Brasil

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas