O local na cratera de Jezero onde o rover Perseverance da Nasa fez sua aterrissagem histórica no mês passado agora tem um nome: Octavia E. Butler, em homenagem à falecida autora de ficção científica.

Butler, que morreu em 2006 aos 58 anos, foi a primeira mulher afro-americana a ganhar os prêmios Hugo e Nebula, e também a primeira escritora de ficção científica a ser homenageada com a bolsa MacArthur. A aclamada autora é conhecida por obras como a trilogia Xenogenesis e as séries Parable e Patternist, nas quais ela critica as tendências hierárquicas e preconceituosas da humanidade, especialmente aquelas baseadas em raça, sexo e classe.

“Os protagonistas de Butler incorporam determinação e criatividade, tornando-a uma escolha perfeita para a missão do rover Perseverance e seu tema de superação de desafios. Butler inspirou e influenciou a comunidade científica planetária”, explicou Kathryn Stack Morgan, cientista adjunta do projeto Perseverance, no comunicado de imprensa da Nasa.

“Não consigo pensar em pessoa melhor para marcar este local de pouso histórico do que Octavia E. Butler, que não apenas cresceu ao lado do JPL [Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa] em Pasadena, mas também inspirou milhões com suas visões de um futuro baseado na ciência”, disse Thomas Zurbuchen, administrador associado da Nasa.

Uma captura do solo marciano durante sua primeira caminhada. Imagem: NASA/JPL-Caltech

O rover Perseverance, agora oficialmente no campo de pouso Octavia E. Butler dentro da cratera Jezero, completou com sucesso seu primeiro teste de reconhecimento em 4 de março.

Durante a excursão de 33 minutos, os especialistas da missão Mars 2020 da Nasa fizeram o rover avançar 4 metros, virar 150 graus para a esquerda enquanto estava no lugar e, em seguida, voltar 2,5 metros para uma nova posição no solo marciano. No total, o rover viajou 6,5 metros — um pequeno passo para o robô, mas um salto gigante para a equipe de cientistas aqui na Terra.

A equipe está confiante de que o sistema de tração está “pronto”, disse Anais Zarifian, engenheira de testes do rover Perseverance no JPL. Eventualmente, o rover percorrerá distâncias próximas a 200 metros como parte do trabalho científico da missão.

Assine a newsletter do Gizmodo

O software do rover foi atualizado recentemente, e vários instrumentos já foram implantados, incluindo um par de sensores de vento e radar de penetração no solo. O braço robótico da máquina, de dois metros de comprimento, também foi colocado em ação, enquanto a equipe flexionava todas as cinco articulações durante um teste de duas horas. Este braço será usado em observações de características geológicas e na perfuração de amostras.

No futuro, o rover fará trajetos mais longos, e seus muitos instrumentos continuarão a ser testados e calibrados. Como parte dessa fase de comissionamento, a Nasa implantará o helicóptero Ingenuity, que atualmente está preso à barriga do rover. Em breve, a equipe selecionará um campo de aviação para soltar o pequeno veículo aéreo.

O rover Perseverance da Nasa pousou na cratera de Jezero em 18 de fevereiro. O objetivo principal da missão de dois anos de duração é procurar sinais de vida na região.