Apesar de alguns países já estarem experimentando as velocidades altíssimas do 5G, a tecnologia não pode parar. Prova disso é que a Samsung já começou a testar o 6G em seus laboratórios e prometem uma rapidez surreal para baixar arquivos, navegar na web e outras coisinhas mais. Mas primeiro, vamos explicar no que consistem os experimentos.

Uma demonstração dos testes aconteceu durante a IEEE International Conference (ICC 2021), e contou com a participação de pesquisadores dos laboratórios da Samsung e da Universidade da Califórnia de Santa Bárbara (UCSB). O 6G em questão foi usado com um transmissor e receptor de 140 GHz, que por sua vez foi desenvolvido em 2017 pelo professor de engenharia elétrica e da computação, Mark Rodwell, da UCSB.

Rodwell explicou que, enquanto redes 5G existem em uma frequência de até 40 GHz, as futuras redes de sexta geração ocupariam uma faixa para além dos 100 GHz, no espectro terahertz (THz). Isso permitiria melhorias consideráveis de desempenho nas redes, incluindo mais estabilidade, maior conexão de dispositivos e experiências de multimídia, baixa latência, entre outras vantagens.

Operando a uma frequência de 140 GHz e com largura de banda de 2 GHz, o 6G transmitiu com sucesso dados a 6,2 Gbps — cerca de 775 MB/s — a uma distância de aproximadamente 15 metros. O recorde anterior foi em março deste ano, quando a Nokia e a operadora turca Turk Telecom atingiram mais de 4,5 Gbps em uma rede 5G e com a ajuda de um hardware especial que nós, consumidores, talvez nunca tenhamos acesso. Logo, operar no espectro terahertz, que é menos usado, significa que o 6G pode atingir velocidades de transferência sem fio de até 1 Tbps de dados para dentro e para fora de um dispositivo móvel a cada segundo.

O que isso significa para a maioria das pessoas? É algo que ainda vamos descobrir. As operadoras de telecomunicações e provedores de serviços têm se esforçado para encontrar maneiras de usufruir de todo o potencial do 5G. Contudo, às vezes é difícil para um consumidor comum saber a diferença entre assistir um filme em HD ou 4K na Netflix. Muitos usuários, aliás, nem se importam com isso.

Assine a newsletter do Gizmodo

Os benefícios são mais evidentes para aqueles que vivem em áreas isoladas e lutam para ter internet de alta velocidade em suas casas ou empresas. À medida que as áreas de cobertura 5G se expandem, ele pode facilmente fornecer acesso à rede com velocidade de banda larga, sem a necessidade de atualizações caras de infraestrutura.

Mas é melhor segurar a ansiedade, já que previsões iniciais indicam que o 6G só deve começar a dar as caras a partir de 2030.