A chegada de um novo phablet da Samsung é inevitável, e pelo menos, agora, a gente já sabe quando a empresa sul-coreana vai mostrar o Galaxy Note 9: no dia 9 de agosto.

Ao ver o vídeo do teaser de 20 segundos do lançamento, não dá para concluir muita coisa. Nele, são mostradas algumas imagens em detalhe de uma caneta stylus que parece muito com a presente no Galaxy Note 8, com aquele botão no lado direito que poderia ser usado para abrir alguns apps em específico ou apagar algum traço.

Clientes Itaú vão poder fazer pagamentos com o Samsung Pay
Você vai poder comprar fones de ouvido da JBL em lojas físicas da Samsung

Por ora, a única coisa nova mostrada no vídeo é uma cor diferente para a caneta, em um tom de amarelo, o que parece ser uma cor interessante para o Note 9 comparada com a cor orquídea acinzentada do Galaxy Note 8 e o azul coral que estreou no Note 7, que, como sabemos, não teve vida longa. O único produto que eu já vi que tem um tom parecido de amarelo é o da BMW M4, uma cor que a fabricante alemã chama de “Austin Yellow”.

Sobre as outras características do Galaxy Note 9, os rumores dão conta de que ele terá o processador Qualcomm Snapdragon 845, 6 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento (com grande probabilidade de haver versões com mais espaço), junto com uma tela de 6,4 polegadas. Segundo o Korea Herald, o Note 9 contará com uma na versão da assistente digital da Samsung, chamada de Bixby 2.0, que deve expandir as capacidades de reconhecimento de imagem, assistente pessoal e de recursos para compra de maquiagem.

No entanto, quando o assunto é o aguardado leitor de digitais sob a tela do Note 9, as coisas ainda não estão muito claras. Há alguns meses, um registro de patente descoberto pelo 91 Mobiles dava conta de que o Note 9 teria um leitor de digital na tela do smartphone. No entanto, informações recentes vazadas pelo onleaks sugerem que o recurso não estará presente no Note 9.

Para mim, uma especificação em que a Samsung pode vacilar no Note 9 é a capacidade de bateria. No ano passado, o Note 8 tinha apenas 3.300 mAh, o que é pouco, comparado com a bateria de 3.500 mAh do Galaxy S8+. E, embora a autonomia do Note 8 seja bem decente, com 10 horas e 21 minutos, a linha Note da Samsung foi feita justamente por seu poder, produtividade e alto desempenho. Então, ter uma bateria do Note 8 menor que outros dispositivos Galaxy foi bem esquisito. Aguardo algo próximo a 4.000 mAh.

Mas, além das escolhas dos componentes e uma firula aqui e acolá, a Samsung tem que responder a uma importante questão com o lançamento: como fazer um Note 9 que seja mais que apenas um Galaxy S9+ com uma caneta stylus?

No ano passado, o Note 8 estreou a câmera dupla na traseira, o que foi certamente uma boa adição, mas não foi nada revolucionário, considerando que Apple e Huawei já tinham implementado recursos similares em smartphones anteriores. Minha preocupação é que os smartphones com stylus sejam como os smartphones com teclados físicos — um recurso interessante para alguns, mas com popularidade decadente.

Fora todos esses rumores, este pode ser o Note 9 que deve antecipar o aguardado smartphone com tela dobrável. Isso significa que o aparelho lançado no dia 9 de agosto deve ser muito bom, ou ele corre o risco de ser esquecido quando a próxima geração de dispositivos futuristas for lançada.

Imagem do topo: Samsung