Todo mundo tem uma noção de como foi o século passado em termos de explosões nucleares. Houve Hiroshima e Nagasaki. Alguns testes nucleares em desertos e em oceanos. Mas você sabia que houve mais de 2.000?

Nesse mapa, que exibe todos os testes nucleares documentados desde 1945, duas coisas saltam aos olhos. Os ataques com bombas atômicas ao Japão em 1945 (os únicos ataques com armas nucleares registrados na história) são mostrados como duas bolinhas pequenas na escala dos quilotons – em local aberrante e com tamanho pouco notável. E aí você percebe uma coisa: a escala não é linear. Se fosse, as explosões maiores cobririam a maioria do mapa. Esse é o negócio com armas nucleares: é fácil perder o senso de escala quando o assunto é o seu poder e os massacres que podem causar.

A imagem retrata as décadas de 50 e 60 não como os anos dourados da recuperação pós-guerra, mas como o período em que os EUA e a União Soviética, em uma competição cega, gastaram muito tempo e incontáveis montes de dinheiro detonando os seus próprios países. [DataVis]