Em meio a uma onda de incidentes preocupantes envolvendo o Airbnb, em que anfitriões foram pegos espionando hóspedes sem seu consentimento, uma empresa chamada NoiseAware está ganhando atenção pelos sensores de “festa” com conexão à internet. Eles não gravam áudio ou vídeo, mas conseguem vigiar os hóspedes e disparar um alarme se parecer que alguém está dando uma festa.

Airbnb vira guia turístico e cuida do que você vai fazer durante a viagem
11 obras-primas da arquitetura que você pode alugar no Airbnb

De acordo com o site oficial da companhia, o produto atual do NoiseAware leva alguns minutos para ser conectado a uma parede e começar a funcionar, monitorando o nível de ruído em uma propriedade. Os proprietários podem definir um determinado limite de ruído e, se ele for ultrapassado, eles receberão uma notificação por SMS ou e-mail “imediatamente”.

A empresa, que recentemente anunciou a pré-venda de uma terceira geração do produto e de um novo sensor externo, alega que seu serviço não invade a privacidade dos hóspedes. A NoiseAware afirma em seu site que sua “tecnologia de patente pendente garante que nenhum conteúdo seja gravado”. Os proprietários podem acessar dados de nível de ruído a partir de um painel, mas isso, supostamente, não inclui qualquer áudio.

Imagem: Divulgação

É fácil imaginar os possíveis casos de uso para essa tecnologia, com o mais óbvio sendo monitorar se alguém está dando uma festa não aprovada, como os recursos de “alarme de festa” da empresa claramente sugerem. Isso não precisa se aplicar a serviços de aluguel de residências — um pai excessivamente preocupado, por exemplo, pode instalar um sensor desse tipo —, mas está claro que o NoiseAware está visando pessoas como os anfitriões do Airbnb. Na verdade, a empresa publicou um post de blog no mês passado que é basicamente um comunicado de imprensa para usar o Airbnb.

Embora esse tipo de vigilância não seja necessariamente tão invasivo quanto assistir aos hóspedes ou ouvi-los de forma não-consensual, isso marca mais uma maneira de os anfitriões poderem, de maneira discreta, acompanhar os passos das pessoas que se hospedam em suas propriedades. Querer garantir que estranhos não estejam abusando de sua estadia não é inerentemente algo ruim, mas grampear sua casa com sensores levanta uma questão: em que momento você cruza a linha entre ser cuidadoso e ser invasivo?

[The Verge]

Imagem do topo: Reprodução