por Matt Novak

O mundo dos drones autônomos individuais está chegando? Vamos nos locomover como George Jetson dentro de alguns anos? Uma empresa chinesa chamada EHang fez um anúncio na CES prometendo isso. Mas vamos nos manter céticos em relação a isso.

Leia mais sobre a CES 2016:
>>> [Hands-on] Relógio da Casio é duro na queda e roda Android Wear
>>> Como é usar a geladeira inteligente da Samsung com tela de 21,5 polegadas

A empresa diz que seu veículo autônomo de 200kg, chamado 184, vai chegar ao mercado em uma data ainda não especificada em um futuro próximo. O preço estimado? Algo entre US$ 300.000 e US$ 400.000.

“Após lançá-lo na CES, o objetivo é fazer a comercialização dentro de três ou quatro meses,” disse o CFO da EHang, Shang Hsaio, à Wired. A definição de “comercialização” não está clara, então não me animaria muito por enquanto.

>>> O problema dos carros voadores, sonho futurista que se recusa a virar realidade

Tudo o que a EHang precisa agora é da aprovação de órgãos de aviação civil, de uma ampla rede de monitoramento de controle de tráfego aéreo, e de uma forma de descobrir como fazer essa coisa aterrissar com segurança após apenas 23 minutos no ar. Eu não tinha falado isso? Pois é, a bateria dura humildes 23 minutos, ou cerca de 16km. Não daria para ir muito longe em uma cidade como São Paulo, por exemplo. O drone também não tem nenhum tipo de controle manual, então se as coisas saírem errado quando ele estiver no ar, já era.

A EHang é conhecida por criar pequenos drones como o Ghost Drone, mas isso não nos faz ficar mais otimistas de que uma coisa dessas vai chegar ao mercado e funcionar direito.

A mais recente tendência no mundo do vaporware de carros voadores é a criação de pequenos drones como “protótipos” desses veículos, e a promessa de que o produto final só depende da aprovação de órgãos competentes. Empresas de carros voadores como a Moller International e a Terrafugia já fizeram isso antes. Mas só porque você consegue criar um drone pequeno não significa que também seja capaz de fazer algo que A) voe com segurança o suficiente para ser produzido para o mercado comercial e B) vai receber aprovação de órgãos de aviação civil.

Já faz quase cem anos que nos prometem carros voadores, e até agora nada. Não parece que será a EHang a responsável por finalmente transformar esse sonho em realidade – mesmo que na forma de um brinquedo disponível apenas para os mais ricos do mundo.

drone-autonomo-2

Veja os principais lançamentos da CES 2016:

[Wired]

Fotos via Associated Press