Você sabe que seu cérebro é complexo, mas o quanto? Bastante, de acordo com pesquisadores da Universidade Stanford. Uma nova técnica de imagem médica criada por eles descobriu que as sinapses (sinapse é a região entre dois neurônios) na verdade funcionam mais como microprocessadores do que como interruptores liga/desliga, e seu cérebro tem centenas de trilhões delas.

As descobertas deles, relatadas na edição mais recente do periódico Neuron, são baseadas em uma nova técnica de imagem médica chamada tomografia em matriz, que reúne pedaços de imagens para formar um modelo 3D. O vídeo acima mostra o tecido do cérebro de um camundongo, cujos neurônios foram modificados para brilharem em verde neon, para que as sinapses pudessem ser distinguidas.

De acordo com Stephen Smith, professor de fisiologia molecular e celular e um dos principais pesquisadores do estudo, as novas imagens revelam que o cérebro é muito mais intrincado do que imaginávamos:

Uma sinapse, por si só, é mais parecida com um microprocessador – com elementos tanto de armazenamento de memória como de processamento de informação – do que com um mero interruptor liga/desliga. Na verdade, uma sinapse pode conter uma ordem de 1.000 interruptores em escala molecular. Um só cérebro humano possui mais interruptores do que todos os computadores e roteadores e conexões à Internet na Terra.

É, a rede mais alucinante do mundo tá bem aí, em cima dos seus ombros. Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade Stanford patentearam a técnica de tomografia em matriz e agora vão tentar usá-la para aprender ainda mais sobre sinapses: o que acontece com ela quando aprendemos coisas novas, o que acontece com elas depois que passamos por grandes traumas etc. Enquanto isso, elas deixaram meu cérebro se sentindo bem maior. [Cell.com via CNET]