A pesquisa do Google de hoje é muito diferente da de anos atrás, de quando o site foi lançado. São diversos critérios, ou sinais, que o site usa para retornar resultados e, a partir da semana que vem, um novo se juntará aos que já estão em funcionamento. O foco será piorar o posicionamento de sites com conteúdo pirata.

A iniciativa visa diminuir o rankeamento de sites que recebem muitas reclamações de infração de direitos autorais. O Google diz que a novidade visa “ajudar os usuários a encontrar fontes legítimas e de qualidade mais facilmente”. Então, em vez de aparecerem uns Megauploads da vida quando se pesquisar por um filme, por exemplo, o Google quer, com essa mudança, tornar mais proeminentes na busca o site oficial do longa, sua entrada no IMDb, Hulu, sites de críticas e por aí vai.

A base desse sistema será o sistema de denúncias de pirataria do próprio Google. E é um banco de dados bem suculento — só nos últimos 30 dias foram mais de 4,3 milhões de denúncias recebidas. A empresa é bastante enfática ao afirmar que os sites denunciados não serão removidos dos resultados, apenas perderão relevância. A remoção de sites em decorrência da quebra de direitos autorais só se processa mediante ordens judiciais. Sobre transparência, desde maio o Google tem uma página dedicada à exibição das requisições de remoção. [Google via The Verge]