A maioria de nós, quando imagina a vida no fundo do mar, tende a se concentrar em cardumes de peixes, tubarões predadores e recifes luminosos. Nós ficamos muito menos preocupados com o som que transita sob as ondas – então você pode se surpreender ao descobrir que a vida marinha tem muito a dizer.

Pesquisadores transformaram escamas de peixe em uma fonte de energia renovável
Este peixe que “anda” fora d’água ajuda a explicar a evolução das espécies

Na verdade, o oceano está repleto de conversas entre peixes que emitem uma variedade de “gritos, borbulhos e estalos”, de acordo com Robert McCauley, que vem estudando estas vocalizações durante quase trinta anos.

Em todo o mundo, cerca de 800 espécies de peixes fazem sons enquanto se envolvem em uma variedade de comportamentos: alimentando-se, defendendo seu território, emitindo sinais para os outros, e se acasalando – para citar apenas alguns.

No geral, peixes não falam ao mesmo tempo entre si, mas como os pesquisadores estão descobrindo agora, há também peixes que falam juntos. McCauley e seus colegas conseguiram identificar sete coros distintos, a maioria dos quais ocorre ao nascer do sol, pôr do sol, ou ambos. Para tanto, eles usaram dois navios na costa de Port Hedland, Austrália, por 18 meses.

McCauley compartilhou alguns exemplos com o Gizmodo. Estes dois primeiros vêm de grupos de roncadeiras-austrais e de peixes Teraponidae, cada um envolvido em uma agregação de desova. Eu, pelo menos, nunca imaginei que orgias de peixes soavam tão parecidas com tubas enferrujadas:

Aqui estão duas outras vozes que os pesquisadores gravaram. As espécies por trás delas ainda são desconhecidas:

Por que os peixes balbuciam juntos? “No momento, muitas vezes simplesmente não sabemos”, diz McCauley. Como o som viaja muito bem debaixo d’água, algumas das coisas que percebemos ser coros poderiam ser um monte de peixes falando individualmente, todos gritando para o abismo e dando a impressão de harmonia.

Em outros casos, a vibração é suficientemente densa para dar bastante certeza de que os peixes estão vocalizando como um grupo. Alguns peixes têm até mesmo um “nicho acústico”, ou seja, seus chamados ocorrem com uma frequência distinta não utilizada por outros na área, “de modo que os destinatários têm mais chance de ouvi-los”, diz McCauley.

[Bioacoustics via New Scientist]

Foto por Benson Kua/Flickr