No ano passado, Kazuo Hirai – presidente da Sony – deu um ultimato para a divisão de smartphones: ou a linha Xperia dá lucro, ou será hora de explorar alternativas, incluindo uma possível venda.

Bem, a divisão de smartphones teve dois lucros trimestrais consecutivos, algo que não acontecia há muitos anos.

A câmera compacta da Sony com sensor enorme ficou ainda mais capaz
Apple sofre 1ª queda de receita anual em quinze anos com vendas menores do iPhone

O segmento Mobile Communications da Sony registrou um pequeno lucro operacional de US$ 4 milhões no segundo trimestre deste ano, e mais US$ 37 milhões no terceiro trimestre.

É pouco se comparado à Apple ou à Samsung, mas é um esforço considerável, especialmente porque a quantidade de smartphones vendidos despencou 40% em um ano – foram apenas 3,5 milhões de unidades.

Como a Sony teve lucro vendendo menos? Simples: focando em smartphones mais caros – é o que eles chamam de “melhora no mix de produtos”. De fato, a empresa menciona em documentos financeiros que houve uma “redução na venda de smartphones mid-range”.

Sabe aqueles smartphones da Sony a preços mais altos que a concorrência, como o Xperia XZ, Xperia XA Ultra e Xperia E5? Bem, alguém está comprando, e em quantidades altas o suficiente para a divisão móvel da empresa escapar de uma eventual venda.

Além disso, a Sony vem cortando custos em smartphones. Por exemplo, ela deixou de fabricar esses aparelhos no Brasil – agora são todos importados. Por aqui, segundo a IDC, a venda de smartphones acima dos R$ 3.000 dobrou, enquanto aparelhos abaixo dos R$ 500 estão sumindo do mercado.

No terceiro trimestre, o lucro total da Sony caiu 86% ano-a-ano devido ao terremoto de Kumamoto e à reestruturação da empresa – ela vendeu a divisão de baterias para a japonesa Murata Manufacturing. As divisões PlayStation, câmeras e Sony Music, no entanto, continuam fortes.

[Sony via TechCrunch]

Foto por Maurizio Pesce/Flickr