Os rumores vinham circulando há meses, mas agora é oficial: o PlayStation 5 vem por aí e agora sabemos que ele tem especificações parrudas.

Porém, do clássico jeitão Sony, precisaremos esperar e lidar com desnecessários teasers até que o console da próxima geração chegue perto de ir para as lojas.

Lembra quando a Sony anunciou o PS4 em 2013? Foram duas horas de marketing, muita falação e ele nem chegou a aparecer no palco.

Desta vez, temos alguns detalhes a mais, graças a entrevista que Mark Cerny da Sony deu à Wired. Rapidamente, esses são os pontos chave: nova CPU, nova GPU com suporte a Ray Tracing, armazenamento com SSD, áudio 3D e retrocompatibilidade com jogos do PS4.

Dessas especificações, a mais intrigante é o SSD que promete carregamentos muito mais rápidos e tempo de renderizações mais altas para acompanhar os jogos de gráficos mais intensos. De acordo com Cerny, a CPU será baseada na linha de terceira geração Ryzen, da AMD. Já a GPU será uma variação customizada da família Navi da Radeon – e sim, essa placa suporta o ray tracing.

A Wired não teve a oportunidade de fazer um hands-on, mas viu uma demonstração. Num primeiro momento, o game Spider-Man foi rodado em um PS4 Pro – o personagem viajava entre destinos de Manhattan. O carregamento ficava próximo dos 15 segundos a cada novo local escolhido. A mesma seção do jogo rodando no console da próxima geração levou 0,08 segundos para carregar.

A Sony ainda está sendo irritante, de propósito. Quando perguntado se a próxima geração manterá a tradição de nomes e se chamará PlayStation 5, Cerny deu um “sorriso enigmático”. Sobre o preço… Quem sabe, né? O produto não deve nem aparecer esse ano. Pode ser que o veremos em 2020 ou em algum momento de 2021. Não dá para esperar mais detalhes na E3 desse ano, já que, pela primeira vez em 24 anos, a Sony não irá ao evento.

O negócio é se preparar para pelo menos mais um ou dois anos de rumores e dicas da Sony.

[Wired]