Sem muito barulho, a Sony levou à IFA 2014, em Berlim, o protótipo de um concorrente do Google Glass. Mas é fácil perceber o motivo de tanta discrição – o Sony Smart EyeGlass ainda esta em fase de protótipo e é bastante limitado.

Ele tem bem mais cara de óculos do que o Glass (especialmente o Glass sem lentes). Suas funções, no estágio atual de desenvolvimento, lembram o projeto do Google, mas a apresentação geral é um pouco diferente. O Smart EyeGlass projeta uma pequena tela à frente do olho do seu usuário como se fosse um segundo display para o Android (mais especificamente, para o Xperia Z3). Essa pequena tela conta apenas com letras verdes e uma ou outra imagem meio ruim de se ver. E as informações variam de email, Twitter, receitas ou mapas, por exemplo. Ele tem também uma câmera – ela fica na parte superior da lente esquerda do dispositivo, e conta com acelerômetro, giroscópio e bússola para saber para onde o usuário está olhando.



Eyeglass - Gizmodo

Assim como quando usei o Google Glass, não consegui não ficar com cara de bobo mexendo no Smart EyeGlass

Os óculos em si não possuem nenhum tipo de controle. Isso fica por conta de um acessório externo, um pequeno disco sensível ao toque que lembra o Pac Man com uma boca aberta. Deslize o dedo nessa “boca” do Pac Man para se mover pelos apps. Toque qualquer parte do disco para acessar um app. Ainda há botões para voltar e acionar a câmera, além de microfone para reconhecimento de voz. Ao The Guardian, Hiroshi Mukawa, um dos desenvolvedores do EyeGlass, explicou que a escolha por controles separados foi feita pensando em tornar o aparelho em si mais leve, além de possibilitar uma bateria maior. Mas isso deve mudar até a chegada do EyeGlass ao mercado – a equipe quer incorporar o controle e a bateria ao dispositivo.

Eyeglass - Gizmodo

Ainda vai demorar um pouco até o Smart EyeGlass chegar às lojas. O plano da Sony é lançar em breve kits de desenvolvimento para adaptar funções de apps do Android para o gadget, e, dentro de um ano, uma versão do dispositivo voltada para desenvolvedores também será liberada. Para nós, consumidores finais, a espera ainda é longa: a Sony pretende lançá-lo apenas dentro de dois anos. Considerando as poucas e limitadas funções do protótipo, talvez seja bom – é tempo para torná-lo mais útil e atrativo, algo que o próprio Google Glass sofre para conseguir ser.

Eyeglass - Gizmodo

O Gizmodo Brasil viajou para Berlim a convite da Samsung