Startup quer “rebocar” aviões comerciais no ar usando uma corda

Novo conceito busca popularizar o uso de aviões elétricos e baratear a aviação comercial. Confira o vídeo do teste
Startup quer "rebocar" aviões no ar usando uma corda
Imagem: Magpie Aviation/Divulgação

Rebocar carros em vias públicas com uma corda ou outro material flexível é proibido pelo CTB (Código de Trânsito Brasileiro). Porém, uma startup dos Estados Unidos está pretendendo fazer exatamente isso — só que no ar, com aviões.

A Magpie Aviation está empenhada em desenvolver um novo mercado de aviação comercial sustentável com emissão zero de carbono. Para tal, a empresa está propondo um conceito que envolve o uso de aviões elétricos que puxam aeronaves de passageiros ou de carga com uma corda feita de fibra sintética.

Por enquanto, a tecnologia de baterias não permite voos de aviões elétricos com capacidade para transportar vários passageiros. Na prática, a aeronave voa carregada de baterias ou de passageiros, mas não ambos na mesma cabine.

A ideia da Magpie Aviation é utilizar uma ou mais aviões elétricos tratores rebocando uma aeronave traseira. Funcionaria assim:

  1. Uma aeronave principal com motores híbridos-elétricos – carregando cargas e/ou passageiros – decola normalmente e sobe até uma determinada altitude. Enquanto isso, o avião rebocador parte de um aeroporto secundário.
  2. As duas aeronaves se encontram no céu e se conectam usando um sistema autônomo, a uma distância segura. Quando o reboque assume a tração, o avião principal pode desligar seus motores e ficar ocioso durante a viagem.
  3. Como o rebocador não teria bateria suficiente para percorrer grandes distâncias, ele poderá ser substituído por um outro em pleno voo — uma ou mais vezes durante a viagem –, até que o avião principal chegue ao seu destino.

A empresa diz que já realizou experimentos bem-sucedidos em pequena escala, usando uma corda de 100 metros de comprimento. Quando entrar em operação comercial, a corda terá quase um quilômetro de comprimento. Confira o vídeo de um teste recente:

Vale destacar que rebocar aviões não é algo novo, uma vez que esse tipo de procedimento já foi usado durante a Segunda Guerra Mundial. Na época, grandes aeronaves puxavam aviões menores transportando tropas e suprimentos. Por outro lado, o reboque na aviação comercial é algo totalmente inédito.

Obviamente, esse conceito é impraticável em viagens internacionais ou travessias sobre o oceano. Porém, a empresa projeta que o sistema de reboque poderia ser usado em mais de 80% das 100 principais rotas aéreas do mundo.

Por mais que pareça algo improvisado, a Magpie Aviation destaque que o sistema se baseia em procedimentos de segurança estabelecidos e precedentes regulatórios em reboque aéreo e reabastecimento aéreo militar.

Além disso, ele tem potencial de baratear os custos da aviação comercial, por usar um sistema de reboque mantido barato por meio de aeronaves simples e operando a partir de aeroportos secundários e rurais. “Parece meio louco, mas continuamos tentando porque não conseguimos encontrar nenhuma razão para não fazê-lo”, disse Damon Vander Lind, CEO da empresa, em entrevista.

Hemerson Brandão

Hemerson Brandão

Hemerson é jornalista, escreve sobre espaço, tecnologia e, às vezes, sobre outros temas da cultura nerd. Ele também é grande entusiasta de astronomia, interessado em exploração espacial e fã de Star Trek.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas