A vitamina D é importante para o funcionamento adequado do corpo, o que inclui a ação de nossos soldadinhos do sistema imunológico. Mas será que ela pode ajudar a prevenir infecções como a Covid-19?

Um estudo ainda não revisado por pares publicado na medRxiv mostra que não. De acordo com pesquisadores britânicos, a vitamina D não interfere no risco de contrair Covid-19, muito menos na gravidade da doença. 

Para chegar a este resultado, pesquisadores britânicos realizaram um estudo de larga escala com 6.000 voluntários no Reino Unido. A pesquisa recebeu o nome Coronavit. 

Os participantes foram divididos em três grupos: o primeiro, com 1.500 pessoas, recebeu altas doses de suplementação de vitamina D; o segundo, com o mesmo número de voluntários, recebeu doses baixas; o último, com 3.000 pessoas, serviu como grupo controle e não recebeu o composto.

Vale dizer que a maioria dos participantes tinha deficiência de vitamina D. Logo, o estudo mediu a influência da ingestão de suplementos para aqueles que já estavam com insuficiência hormonal, e não para pessoas que deliberadamente quiseram tomar as doses. Os voluntários receberam a suplementação durante seis meses.

E lá estava o resultado: a vitamina D não reduziu o risco dos pacientes contraírem a Covid-19. O suplemento também não ajudou os quadros da doença a serem mais leves e não impediu a chamada Covid longa – quando os efeitos da infecção se prolongam por semanas.

Curiosamente, pessoas do grupo que recebeu altas doses de vitamina D tiveram 10% mais chances de serem hospitalizadas com Covid-19 do que aquelas que não tomaram suplementos. De toda forma, mais estudos são necessários para estabelecer qualquer relação. 

Os pesquisadores mediram os níveis de vitamina D nos participantes após os seis meses e, como esperado, o valor havia aumentado naqueles que tomaram suplementos. Ou seja, se você precisa do hormônio por questões médicas, ele cumpre sua função – mas se quiser tomar por causa da Covid-19, é melhor poupar o seu dinheiro.