Se você achava que o Kindle Fire era barato, eis o Aakash: por US$60, este é o tablet mais barato do mundo – e pode ser parcelado em 30 parcelas de US$2. Lançado na Índia, ele já tem 300.000 reservas, o que não conta as unidades que universitários receberam de graça. E o Brasil manifestou interesse em trazer tablets como este para cá.

Com 350g, o Aakash (também chamado de Ubislate) roda Android 2.2 e tem touchscreen de 7 polegadas, processador e chip gráfico – que reproduz vídeos em HD – 256MB de RAM, 2GB de espaço interno, entrada para cartão de memória e duas entradas USB (não microUSB). Ele tem bateria relativamente pequena de 2.100mAh, mas pode ser recarregado com energia solar. O tablet acessa a internet via Wi-Fi e modem 2G, e a internet custa US$2 por 2GB.

Inicialmente, o Aakash iria custar US$35, mas os US$60 cobrados por ele ainda são bem baixos. Como é que a Datawind, que fabrica o tablet, conseguiu chegar ao preço de US$60? Assim: a touchscreen é resistiva, o processador é de 366MHz, ele não tem 3G (só 2G/EDGE) e não licencia o Android Market nem apps do Google – a loja de apps é a GetJar. E a Datawind é subsidiada pelo governo. Mas o VentureBeat já testou o tablet e disse: ele é bom o bastante para os fins educacionais a que se propõe.

O Brasil manifestou interesse no Aakash: segundo Tuli, o governo brasileiro e de outros países emergentes pediram que a Índia participasse de programas semelhantes ao do Aakash. “No entanto, nenhum deles emitiu propostas para oferecer dispositivos de baixo custo até agora”, disse Tuli. Você gostaria de ver tablets tão baratos no Brasil? [Aakash via Times of India via EFE/Estadão]

[vimeo 31238148 640 360]