A melhor maneira de garantir que você esteja sempre confortável ao sair de casa é colocar uma camada de roupas para que possa tirar algumas peças quando estiver com calor ou adicionar mais quando estiver com frio. Mas e se uma única vestimenta pudesse funcionar nos dois sentidos? Isso é o que os cientistas estão prometendo com um novo material que aquece de um lado, mas esfria quando virado do avesso.

Fazer as malas para um acampamento de fim de semana em que você não terá nada além de uma mochila para carregar tudo que você precisa é um ato de equilíbrio complicado — você precisa trazer roupas suficientes para se manter confortável em qualquer clima, sem encher demais sua mala. É por isso que empresas como The North Face e Columbia investem muito em pesquisa e no desenvolvimento de roupas que maximizam sua capacidade de mantê-lo confortável ao mesmo tempo em que são leves e fáceis de embalar.

Em um artigo publicado recentemente no jornal Nano Letters, cientistas das universidades chinesas de Westlake e Zhejiang revelaram um novo tipo de tecido em camadas que usa um material feito de polímeros fibrosos porosos capaz de respirar como o algodão (permitindo que o suor evapore e escape), mas que também faz muito mais. Um lado do tecido é coberto por nanopartículas de zinco e cobre que servem para reter a energia solar e também para refletir a radiação térmica emitida pelo usuário de volta ao corpo. O outro lado do tecido faz o oposto, usando uma estrutura hierarquicamente porosa (com poros de vários tamanhos estrategicamente dispostos) para refletir os raios do sol e, ao mesmo tempo, permitir que o calor do corpo humano seja irradiado e dissipado.

Testando um pequeno quadrado do tecido em pele humana simulada sob luz solar natural com o lado aquecido voltado para fora, os pesquisadores descobriram que ele aumentou a temperatura subjacente em 7,8 ºC graus mais do que um quadrado de algodão preto simples faria. Mesmo à noite sem luz solar, os efeitos ainda eram mensuráveis, com um aumento de 2,8 ºC em comparação com uma simples camada de algodão. Quando o tecido foi virado do avesso, sob a luz do sol, descobriu-se que ele resfriava a superfície da pele simulada em 6,1 ºC mais do que um quadrado de algodão branco.

Assine a newsletter do Gizmodo

O novo tecido pode potencialmente revolucionar as camadas de base e roupas íntimas, tornando-as mais adaptáveis ​​às mudanças nas condições climáticas. Talvez, um dia, o único motivo pelo qual você precise de uma jaqueta leve seja para protegê-lo do vento e da chuva. Mas o tecido tem outro truque bacana: da mesma forma que o smartwatch sem bateria Matrix PowerWatch é capaz de se alimentar usando apenas a diferença de temperatura entre a pele do usuário e o ar, o tecido de resfriamento/aquecimento automático pode gerar uma pequena quantidade de eletricidade quando acoplada a um gerador termoelétrico. Portanto, se o tecido chegar a ser lançado como uma peça de roupa disponível para os consumidores, você não apenas ficará fresco e confortável quando for para suas trilhas, como poderá até carregar seu smartphone.