Aquela vontade de tacar o seu smartphone na parede depois de conectá-lo numa rede Wi-Fi supercongestionada talvez nunca mais aconteça com você. Pesquisadores do MIT descobriram uma forma de melhorar a velocidade das conexões wireless ao coordenar múltiplos roteadores de forma inteligente.

• Roteador discreto da Netgear usa tecnologia triband para cobrir toda a sua casa com Wi-Fi
• Um novo tipo de Wi-Fi usa 10.000 vezes menos energia

A nova tecnologia, desenvolvida pelo Laboratório de Ciência da Computação e Inteligência Artificial (CSAIL, na sigla em inglês) do MIT, foi batizada de MegaMIMO 2.0. Ela não só irá tornar o Wi-Fi três vezes mais rápido, como irá dobrar o alcance da rede.

A novidade é baseada na tecnologia MIMO – utilizada nos roteadores wireless atuais – que envia múltiplos sinais de dados por meio de um mesmo canal, para aumentar as velocidades de transmissão. O MegaMIMO 2.0 coordena múltiplos access points de forma inteligente, todos transmitindo na mesma frequência e no mesmo espectro, aumentando as velocidades e a força do sinal.

megamimo-explain

Então por que não podemos instalar dois ou três roteadores em casa para aumentar a velocidade do Wi-Fi? Se você tiver diversos access points transmitindo numa mesma frequência, será criada uma interferência, dificultando a decodificação do fluxo de dados. É a mesma coisa que acontece quando duas estações de rádio fazem transmissões na mesma frequência enquanto você está passando de uma cidade a outra; o sinal chega, mas vem todo bagunçado.

A inovação dos pesquisadores do MIT tem a ver com um novo algoritmo de processamento de sinal, que faz com que os access points e os transmissores sincronizem suas fases, eliminando a interferência. Com diversos roteadores wireless fazendo transmissões ao mesmo tempo, mais fluxos de dados podem ser transmitidos simultaneamente. É só pensar em como funciona um torrent: quanto mais seeds, melhor.

Os pesquisadores já demonstraram o MegaMIMO 2.0 funcionando com quatro pontos de acesso ao mesmo tempo, mas eles acreditam que podem chegar a um número bem maior.

[MIT CSAIL]

Foto por Jason Dorfman/MIT CSAIL