Eu acabo de colocar meus olhos na tela PenTile, da Samsung, que tem resolução de 2560 x 1600 pixels espalhadas por 10,1 polegadas. Sabe o que isso significa? Uma densidade de pixels de 300dpi, próximo à tela atual do iPhone 4. O resultado, claro, é impressionante.

A unidade que testamos rapidamente é um protótipo desenvolvido em parceria com a criadora da tecnologia PenTile, a empresa Nouvoyance, mas mesmo sendo um protótipo, ficou bem claro o potencial da tecnologia. Com 600 nits, ela é quase duas vezes mais brilhante do que o tablet mais brilhante do mercado. Graças a uma nova tecnologia que precisa de apenas dois terços do número de sub-pixels (os pequenos componentes RGB de cada pixels), ela é capaz de consumir até 40% menos energia do que o LCD atual. E a tela é bem fina. Ousaria dizer que ela tem menos de um centímetro de espessura.



Mas chega do papo mais geek. O que faz a tela PenTile tão empolgante é o resultado perante seus olhos. Imagens saltam pela tela. O preto tem muita profundidade, enquanto as cores são extremamente ricas. Os menores detalhes das imagens são esculpidos a cada pixel. Mas o melhor de tudo é olhar para a tela e não encontrar nenhum retalho. Não há nenhum pixel visível para estragar a imagem. Mesmo olhando para a tela com uma lupa, foi difícil diferenciar cada pixel.

E por que nós queremos isso em um tablet? Filmes e jogos ganham muito com ela, claro, mas no caso específico dos tablets, há uma grande expectativa de ponto positivo: a leitura. Pessoalmente, eu leio muito mais em meu tablet do que em meu smartphone e até em meu computador. Então imagine como as revistas, que são apresentações gráficas cheias de detalhes, irão se beneficiar de tal tela. Ou livros, que te fazem ficar olhando por horas e horas para pequeninas palavras. Conversei com Joel Pollack, da Nouvoyance, e ele afirma que uma tela de 300dpi diminuirá muito o esforço feito pelos olhos. E ainda afirma que uma tela com brilho de 600 nits pode eliminar o efeito lavado que o LCD cria quando exposto ao sol.

Mas quando colocaremos nossos queridos olhos em telas assim? Pollack diz que a tecnologia já está completamente desenvolvida, e que o processo de produção acaba de ser iniciado. Por suas estimativas, devemos começar a ver tablets com telas assim no final do primeiro semestre de 2012. Não é um prazo tão longe assim, mas há um ponto negativo: eu quero uma tela assim agora mesmo.