A Tencent, maior empresa de videogames do mundo, anunciou que irá encerrar sua plataforma de streaming de jogos, Penguin Esports, em 7 de junho. A empresa justificou medida: alegou uma alteração em sua estratégia de negócios.

A Tencent possui outras duas grandes plataformas de streaming na China, DouYu e Huya, que dominam o mercado local e fazem a Penguin Esports parecer irrelevante. Juntas, as empresas controlam cerca de 70% de todo o mercado de streaming. Embora a companhia domine este segmento com outras duas grandes plataformas, a Penguin Esports nunca atingiu o sucesso esperado dentro do mercado chinês.

O Penguin Esports é parecido com a Twitch, e vem sofrendo com a ascensão de outras empresas que estão investindo no mercado de games. Bilibili, popular serviço de streaming no país, e Kuaishou, empresa dona do Kwai, principal concorrente do TikTok no mercado de plataformas de vídeos curtos, estão investindo pesado em plataformas próprias de streaming de vídeos e apostando em conteúdos exclusivos.

A Tencent sofreu uma grande derrota em agosto do ano passado quando o governo Chinês impediu uma fusão entre DouYu e Huya, que já dominam o mercado de stream da China. A ideia era deixar o resultado da fusão sob a marca Penguin Esports, mas entidades reguladoras da China não permitiram a movimentação, o que foi um balde de água fria nos planos da Tencent.

A Tencent segue investindo na área de e-sports, mas também sofre resistência de agências governamentais que regulam a atividade na área. O governo local endureceu as regras sobre o quanto menores de idade podem jogar diariamente para proteger usuários jovens de desenvolverem vício em games. Por isso, a quantidade de tempo que menores podem ter diariamente foi reduzida e é rigorosamente controlada.

No final do ano passado, as medidas dos governos já começaram a refletir na receita da empresa, que registrou aumento de faturamento mais lento da sua história no quarto trimestre de 2021.

Assine a newsletter do Gizmodo