A Administração Nacional de Segurança no Trânsito de Rodovias (National Highway Traffic Safety Administration/NHTSA), agência responsável pela segurança automotiva no território norte-americano, divulgou 758 relatos de acionamento inesperado do sistema de freios dos carros da Tesla.

A empresa fabricante de veículos elétricos tem passado por momento agitados. Por um lado, a Tesla recebeu a notícia que é a maior vendedora de carros de luxo dos Estados Unidos, detendo 21,8% do segmento inteiro.

Por outro, algumas polêmicas surgiram nas últimas semanas com os supostos e-mails que teria enviado para alguns funcionários, tentando limitar o alcance do trabalho remoto. 

A empresa tem até 20 de junho, segunda-feira, para responder essas denúncias dos freios, de acordo com a NHTSA. Não é a primeira vez que casos assim vêm a público. Em fevereiro, a agência abriu uma avaliação preliminar em 416 mil veículos de 2021 e 2022 da linha Tesla Model 3 e Tesla Model Y, nos EUA, após receber 354 queixas do mesmo problema.

Essa função que apresentou problemas ,possibilita que o automóvel dirija e freie automaticamente dentro das faixas.