A televisão não é mais apenas televisão: são filmes de sucesso separados em capítulos. Assista aos programas Star Wars ou Marvel na Disney+, Star Trek no Paramount + ou qualquer série na Netflix e Amazon Prime, e você pode ver que os dias da televisão sendo mais simples e menores que os filmes acabaram. E essa barra continua subindo, mesmo no lugar onde essa tendência começou.

A HBO, amplamente creditada pelo renascimento da TV moderna graças a programas como The Sopranos, está atualmente produzindo outra série com grandes aspirações: The Last of Us. Baseado no videogame popular de mesmo nome, o show segue um homem chamado Joel (Pedro Pascal) que precisa levar uma jovem chamada Ellie (Bella Ramsey) através de um país infestado de zumbis porque ela pode ser a chave para uma cura. As filmagens estão agora ocorrendo em Fort MacLeod, Alberta, Canadá, e lá, o chefe de um dos sindicatos trabalhando no projeto ofereceu algumas informações fascinantes ao CTV News local, via Forbes.

“Este projeto excede em muito a marca de oito dígitos por episódio”, disse Damian Petti, presidente da IATSE 212. “Portanto, há um efeito multiplicador em nossa economia em termos de impacto. Existem centenas de empresas relacionadas que se beneficiam da abundância de trabalho.” Trabalho que, segundo Petti, começou com seis meses de pré-produção e durou 12 meses. A primeira temporada terá 10 episódios.

A HBO não quis comentar sobre valores, mas certamente vale a pena lembrar que Petti está representando sua cidade e sindicato, não a HBO, então há uma chance de alguma discrepância ou mal-entendido. Se for verdade, porém, esse número é interessante porque coloca The Last of Us, um programa que parece relativamente compacto — afinal é principalmente sobre duas pessoas — no mesmo nível da temporada final de Game of Thrones. A maior temporada da série custou cerca de US$ 15 milhões por episódio. Se cada parcela de The Last of Us “ultrapassar em muito” oito dígitos, parece uma conclusão lógica que ela pode custar mais.

Mas por que The Last of Us seria tão caro? Acredita-se que pode ser desde a pré-produção ou o investimento em efeitos visuais e cenas de ação. O fato é que orçamentos, sejam precisos ou com boatos, não são uma boa maneira de prever como a série vai ser.

Assine a newsletter do Gizmodo

O que é bom para um orçamento, no entanto, é mostrar quanta fé uma empresa como a HBO tem em um projeto – e mesmo que Last of Us custe metade do que isso sugere, é um investimento significativo em uma propriedade com muitas expectativas.