Em uma reunião para acionistas realizada na última terça-feira (23), o CEO da Apple, Tim Cook, comentou um dado interessante sobre o crescimento da companhia nos últimos seis anos. De acordo com o executivo, nesse período, a Apple comprou quase 100 pequenas empresas. Foi cerca de uma nova aquisição a cada três ou quatro semanas.

Entre as compras mais notáveis ​​apenas no ano passado estão as startups de NextVR e Spaces (ambas de realidade virtual e aumentada), um aplicativo de clima chamado Dark Sky e o serviço de pagamentos móveis Mobeewave. Em um determinado período, foram entre 20 e 25 companhias adquiridas em um intervalo de apenas seis meses. A Apple sempre tentou manter os detalhes de suas aquisições fora dos holofotes, incluindo o valor de cada negócio. Mas especula-se que alguns deles ficaram na casa das centenas de milhões de dólares.

“Não temos medo de olhar para aquisições, independentemente de seu tamanho. O foco está em empresas pequenas e inovadoras que complementam nossos produtos e ajudam a impulsioná-los”, disse Cook aos acionistas (via MacRumors).

A Comissão Federal do Comércio dos EUA chegou a pedir detalhes sobre as negociações da Apple para comprar várias outras empresas no ano passado. No entanto, a Apple tende a comprar startups menores que ficam bem abaixo de um limite que despertaria a desconfiança de órgãos reguladores. A maioria das alegações de comportamento anticompetitivo por parte da Apple se concentram no controle do iOS e da App Store.

Segundo a Bloomberg, na reunião de terça-feira, Cook também afirmou que a Apple, que atingiu uma capitalização de mercado de US$ 2 trilhões em 2020, de alguma forma não tem uma posição dominante em nenhum mercado:

“A Apple não tem uma posição dominante em nenhum mercado em que competimos, nem em nenhuma categoria de produto, nem em nenhuma categoria de serviço, nem em software ou aplicativos. Este mercado competitivo incentiva todos nós a sermos melhores. Portanto, embora o motivo seja sempre justo, acusações como essas caem por terra após análises razoáveis dos fatos.”

Assine a newsletter do Gizmodo

Outras questões abordadas durante a chamada incluíram o impacto ambiental da Apple e novos recursos do iOS que reprimem certos tipos de comportamento de rastreamento — este último dos quais é objeto de uma rivalidade em andamento com o Facebook. Cook disse que a empresa está no caminho para ser uma empresa livre de carbono até 2030, e que espera que as salvaguardas de privacidade mais rígidas da Apple sejam o pontapé inicial para uma revolução.

A onda de aquisições não é exclusividade apenas da Apple. Grandes empresas como Amazon, Facebook e Google também encabeçam a lista — e todas elas estão na mira de reguladores antitruste. Um relatório do Comitê Judiciário da Câmara dos EUA, em outubro de 2020, descobriu que as quatro empresas “no passado, foram startups menosprezadas que desafiavam o status quo, [mas] se tornaram os tipos de monopólios que vimos pela última vez na era dos barões do petróleo e magnatas das ferrovias”.