Queda de rochas na Costa Jurássica abre possibilidades para encontrar novos fósseis

Estima-se que 4 mil toneladas de destroços, incluindo rochas do tamanho de carros, tenham desabado em uma praia ao longo da Costa Jurássica de Dorset.

A gigantesca queda de rochas ao longo da costa de Dorset. Imagem: Finnbarr Webster (Getty Images)

Estima-se que 4 mil toneladas de destroços — incluindo rochas do tamanho de carros — desabaram em uma praia ao longo da Costa Jurássica de Dorset. Como esta parte da Grã-Bretanha está repleta de fósseis, a queda de rochas provavelmente atrairá colecionadores amadores e profissionais. No entanto, as autoridades locais estão pedindo ao público que fique longe da praia.

O colapso do penhasco, relatado pelo Conselho de Dorset na última terça-feira (13), é considerado o maior no Reino Unido em 60 anos. A queda “substancial” de rochas, disse o conselho, aconteceu entre Seatown e Eype Beach, no sul da Inglaterra.

Rachaduras recentes e profundas foram relatadas ao longo da linha que cerca o topo. Por isso, o público está sendo solicitado a “manter-se afastado dos topos e bases dos penhascos quando estiver fora de casa”, alertou o Conselho de Dorset em um tuíte. Agora, a parte inferior da praia encontra-se totalmente bloqueada por escombros.

Um segundo colapso foi relatado pouco tempo depois, este apenas a leste de Seatown e medindo aproximadamente 300 m de diâmetro. Ambas as rochas estão localizadas perto de Thorncombe Beacon, um marco histórico aproximadamente a meio caminho entre Seatown e Eype. Não há relatos de feridos.

Este famoso trecho da costa inglesa está sujeito à erosão e frequentes colapsos, resultando em uma “paisagem em constante mudança”, de acordo com o perfil Dorset Council. “O vento, as ondas e o clima agem sobre as falésias, que podem cair e escorregar sem aviso”, tuitou a autoridade regional. Sendo assim, as pessoas devem “ficar longe do topo ou da base das falésias e evitar o material escorregadio na praia”.

Essa linha costeira é frequentemente chamada de Costa do Jurássico, e por um bom motivo. A área é “bem conhecida por seus fósseis lindamente preservados e cientificamente importantes”, explicou Sven Sachs, paleontólogo do Museu de História Natural de Bielefeld, na Alemanha, por e-mail.

Uma vista aérea mostrando a frente do penhasco. Imagem: Finnbarr Webster (Getty Images)

Fósseis importantes extraídos da Costa do Jurássico incluem uma espécie até então desconhecida de ictiossauro e a descoberta de uma criatura parecida com uma lula que ainda se encontrava apegada a sua presa. Sachs afirma que é totalmente possível que as camadas estratigráficas do Jurássico Superior possam ficar expostas por conta da queda de rochas, e há uma “chance de que fósseis interessantes possam ser encontrados”.

Em um e-mail, Steve Brusatte, paleontólogo da Universidade de Edimburgo, disse que está ciente da queda de rochas, mas ainda não tem certeza de quais tipos de rochas estiveram envolvidas no colapso. Elas poderiam ser “rochas da idade do Jurássico ou rochas de outras idades ou tipos”, escreveu ele, pois há uma “diversidade de idades e tipos de rochas na Costa do Jurássico”.

Aproximadamente 4.000 toneladas de destroços caíram durante o colapso do penhasco. Imagem: Finnbarr Webster (Getty Images)

Brusatte suspeita que o colapso expôs alguns fósseis, mas emitiu um alerta, dizendo que as pessoas não deveriam “correr para encontrá-los, uma vez que o penhasco ainda parece muito instável e perigoso”.

Na verdade, a queda de rochas ainda é recente e mais desmoronamentos são possíveis nos próximos dias e semanas. Se este trecho da costa de Dorset eventualmente for aberto aos paleontólogos, no entanto, será emocionante ver o que eles poderão encontrar. Alguns fósseis estupendamente importantes podem agora estar lá, apenas esperando para serem descobertos.

Sair da versão mobile