Embora, sim, seus aplicativos de mensagens estejam realmente espionando você, argumentar que eles foram desenvolvidos especificamente para esse fim pode parecer um exagero. Mas o mundo anda muito estranho nesse ano de 2019, e agora você pode agradecer a ToTok por tornar seus piores pesadelos de vigilância distópica em realidade.

(A propósito, estamos falando do ToTok. Não deve ser confundido com o TikTok, o aplicativo de vídeo viral que já está enfrentando seus próprios problemas em relação às questões de privacidade do usuário).

Acredita-se que o que milhões de usuários pensavam ser um aplicativo de bate-papo gratuito seja, na verdade, uma ferramenta de vigilância que vaza dados para autoridades do governo nos Emirados Árabes Unidos, disseram autoridades de inteligência dos EUA ao New York Times no domingo. Desde então, a Apple e o Google removeram o ToTok de suas respectivas lojas, mas ele continuará espionando se você já o tiver em seu telefone. Então, resumindo: Exclua o ToTok, caso você tenha baixado o app.

Segundo a reportagem, o governo dos Emirados Árabes Unidos usou o ToTok para coletar dados de localização (necessários para acessar informações sobre o clima), conversas por voz e texto e conexões sociais online de seus usuários. A maior parte da base de usuários do aplicativo vive nos Emirados Árabes Unidos, embora a ferramenta tivesse ganhando popularidade em todo o mundo e recentemente tenha aparecido nos rankings dos Estados Unidos. Apenas em novembro, o app alcançou mais de meio milhão de downloads.

Mas enquanto o ToTok se anunciava como um “aplicativo de chamadas e mensagens rápido e seguro”, sua política de privacidade não promete criptografia de ponta a ponta, apenas referenciando o armazenamento de dados: “Mensagens: todos os dados são armazenados fortemente criptografados para que os engenheiros locais do ToTok ou intrusos físicos não possam ter acesso”.

Uma vantagem particularmente forte que atraiu os usuários dos Emirados Árabes Unidos foi que, ao contrário de aplicativos de bate-papo mais onipresentes como Skype e WhatsApp, o ToTok não exigia um VPN e poderia contornar as restrições impostas pelo governo dos Emirados. Isso permitia, portanto, (aparentemente) bate-papos e mensagens de vídeo sem restrições, com qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo, desde que eles também tenham uma conexão com a Internet.

E o desenvolvedor da ToTok, Breej Holding, também é aparentemente suspeito. Eles são um fantasma na internet, de acordo com o relato do Times, e provavelmente uma fachada para a agência de inteligência cibernética DarkMatter.

A empresa tem um histórico de contratos com o governo dos Emirados e contratação de ex-agentes de inteligência, e já atraiu o escrutínio das autoridades de inteligência dos EUA por supostos crimes de hackeamento. O próprio software – basicamente um trabalho de copiar e colar do aplicativo chinês YeeCall – também está vinculado a uma empresa de mineração de dados relacionada ao Dark Matter que compartilhou um prédio com a agência de inteligência dos Emirados Árabes Unidos por um tempo.

Agora, você deve estar sentindo um frio inexplicável na espinha e um impulso repentino de ter mais cuidado com suas informações pessoais. Como o ToTok não está secretamente coletando seus dados, ele não precisou usar os desafios virais de deepfake para acessar uma grande quantidade de informações pessoais. Ele não precisa. Para acessar todos os detalhes da identidade online de seus usuários, o ToTok solicitou as mesmas permissões que você esperaria de um aplicativo de rede social no seu telefone. E esperava que as pessoas não prestassem muita atenção à sua política de privacidade.

[The New York Times]