Tufões são geralmente associados a destruições em massa, mas um engenheiro japonês desenvolveu uma turbina de vento que pode aproveitar o tremendo poder destas tempestades e transformá-lo em energia útil. Se ele estiver certo, um único tufão poderia fornecer energia para o Japão por 50 anos.

Dubai vai construir a maior usina de energia solar do mundo
Usina de energia solar não consegue parar de matar pássaros

Atsushi Shimizu é o inventor da primeira turbina do mundo movida a tufões: um dispositivo extremamente durável que não só pode aguentar a força desse fenômeno natural, como também pode converter essa potência em energia utilizável.

Os cálculos de Shimizu mostram que um conjunto suficientemente grande de suas turbinas poderia capturar energia suficiente a partir de um único tufão para fornecer energia ao Japão por 50 anos.

turbina tufao 2
Shimizu mostra um modelo de sua turbina movida a tufão. (Foto: Challenergy)

Dado que o Japão está passando por uma escassez de energia – um problema incitado pelo desastre de Fukushima em 2011 – esta seria uma solução muito bem-vinda. Como Shimizu disse à CNN, “na verdade o Japão tem muito mais energia eólica do que energia solar, ela só não é utilizada”.

Shimizu não está errado: o Japão já passou por seis tufões este ano. Ele é fundador da empresa de tecnologia ecológica Challenergy, e acredita que o país tem o potencial de se tornar “uma superpotência do vento”.

A turbina de tufão difere de modelos convencionais em dois aspectos importantes. Ela funciona em um eixo omnidirecional, que permite à máquina sobreviver padrões imprevisíveis de ventos; e a velocidade das lâminas pode ser ajustada para garantir que não saiam de controle durante uma tempestade.

turbina tufao 1
Um protótipo funcional da turbina. (Foto: Challenergy)

Testes de um protótipo atingiram 30% de eficiência, que é dez pontos percentuais mais baixo do que as turbinas de hélice. A diferença, claro, é que as turbinas de Shimizu poderiam sobreviver a uma tempestade. Em 2013, por exemplo, o tufão Usagi destruiu oito turbinas convencionais e danificou outras oito.

Um protótipo funcional foi instalado este ano perto de Okinawa, e o próximo grande passo é testar o dispositivo em condições de ventos fortes – tudo o que é necessário agora é um tufão.

Não está imediatamente claro para onde toda essa energia seria canalizada – ela poderia ser enviada diretamente à rede elétrica, ou armazenada em baterias de grande porte. Entramos em contato com a empresa, mas ainda não obtivemos resposta.

[CNN]

Imagem conceitual de um conjunto de turbinas de tufão. (Imagem: Challenergy)