A Turquia bloqueou o acesso de seus cidadãos ao YouTube dias antes de eleições que serão realizadas no país – a medida, obviamente, é vista como uma tentativa de conter acusações de corrupção no governo do primeiro-ministro Recep Tayyp Erdogan, há 11 anos no poder.

As eleições municipais serão realizadas no domingo, dia 30, e Erdogan teme que o vazamento de informações prejudique seu partido, o Partido da Justiça e do Desenvolvimento.

Censura na Turquia não é exatamente novidade, e não precisamos voltar muito no tempo para encontrar um caso de serviço bloqueado dentro do país. Na semana passada, também para conter as acusações de corrupção, a Turquia bloqueou o acesso ao Twitter – medida que foi deixada de lado ontem, após uma corte turca ordenar a restauração do acesso ao serviço.

O caso do YouTube envolve o vazamento de uma reunião de segurança secreta com foco na Síria, que foi postada em diversos canais de mídias sociais, incluindo o YouTube. O governo confirmou a realização de tal reunião, mas diz que o conteúdo dela foi distorcido no vídeo.

Mas é claro que o bloqueio não deu muito certo. Assim como no caso do Twitter, existem muitas formas de driblar a restrição – clientes VPN, ou proxy, por exemplo. No Twitter pipocam dicas de como acessar o YouTube pelo Android, como diz a mensagem enviada pelo The Guardian Project:

 

O governo da Turquia não gosta de liberdade de expressão, isso está bem claro. Mas é bem difícil, em tempos atuais, impedir a disseminação de informações pelas redes sociais. Os cidadãos sempre encontram uma maneira de driblar a censura. [The Verge]