Quem frequenta estádios já deve saber de um dos principais mandamentos do futebol: não se grita gol antes da hora – dá muita zica. Só que aqueles que estão acompanhado os jogos da Copa do Mundo via TV a cabo, com tecnologia 4K, ou internet, por exemplo, estão sempre meio atrasados – e aí a culpa não é do vizinho apressado, a real é que a TV dele pode estar com a transmissão muito na frente.

• A Copa do Mundo em 4K vem aí, mas seus vizinhos devem gritar gol antes de você
• As principais maneiras de se assistir os jogos da Copa pelo smartphone

Ouvir a vizinhança comemorar antes corta um pouco do barato, com certeza. A Folha fez um levantamento para saber o quão atrasada uma pessoa pode estar e, dependendo de onde vem a transmissão, o delay pode chegar a até 20 segundos – isso porque eles nem mediram o atraso do 4K.

O jeito mais rápido para se saber o que está acontecendo ao vivo no jogo da Copa é ouvir a narração pela rádio – o tempo de comunicação até os aparelhos é bem rápido.

A TV aberta é a campeã quando se trata de “velocidade” de transmissão de imagem. Agora, sem o sinal analógico em muitas regiões do país, o risco de ficar para trás entre a vizinhança é menor. Quem se dá mal, nesse caso, são aqueles que assinam TV a cabo; o delay fica entre quatro e cinco segundos após a passagem da imagem no sinal aberto.

Smartphones com TV digital também podem sofrer com algum atraso, já que utilizam padrões diferentes para a recepção do sinal digital.

O pior mesmo é quem precisa acompanhar tudo pela internet; a Globo, detentora dos direitos de transmissão do evento, tem transmitido os jogos via GloboPlay e site do Globoesporte.com. Dependendo da conexão, as coisas aconteciam entre 15 a 20 segundos depois do que se passava na TV aberta. O 4K pode sofrer com atrasos similares, já que também depende de conexão com internet.

Por que o atraso acontece?

O atraso tem a ver com a forma com que o sinal é distribuído até as casas: para chegar na TV aberta, o sinal “bate” nas antenas e a transmissão chega quase imediatamente na ponta do consumidor.

Ao mesmo tempo, esse sinal chega até as operadoras de TV paga, que precisam redistribuir a transmissão, seja por fibra ótica ou satélite, além de precisarem codificar e decodificar o sinal em cada uma das pontas, conforme explica a reportagem da Folha.

Tem como fugir disso?

As empresas de telecomunicações até investem em tecnologia para evitar os atrasos, mas dificilmente vamos alcançar um delay mínimo nos próximos anos – ainda mais com novas tecnologias de qualidade de transmissão chegando.

Se você não quer saber de ouvir spoilers em lances decisivos, o negócio é comprar uma antena digital interna ou externa para a sua casa ou apartamento – existem modelos baratinhos, a partir de R$ 30, em lojas de bairro e pela internet.

O ideal é comprar em algum lugar de confiança, porque há risco da recepção de sinal em algum cômodo da sua casa não ser eficiente, e aí você precisa de um amplificador de sinal elétrico.

Se você não quer gastar uma grana para o jogo de hoje, dá para tentar uma gambiarra por sua conta e risco:

– Pegue um clipe de metal, daqueles que prendem papéis ou um arame, daqueles que vem em embalagens de pães de forma;

– No caso do arame, remova cerca de um centímetro do plástico;

– Faça um L na ponta;

– Conecte na entrada de antena da sua TV digital.

Com alguma sorte, você conseguirá o sinal e irá se livrar do delay – só tem que torcer para não rolar nenhuma interferência.

[Folha]

Imagem do topo: FIFA/Facebook